logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Letramentos Acadêmicos: as dimensões ocultas no ensino do gênero resenha crítica.
Autor(es): Eliane Feitoza Oliveira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Letramentos Acadmicos,escrita acadmica,resenha crtica
Resumo O presente trabalho tem por objetivo discutir o ensino do gênero resenha crítica no Ensino Superior, mais precisamente em uma sala de aula do primeiro semestre do Curso de Letras de uma instituição particular da cidade de São Paulo, focalizando as dimensões do gênero que ficam ocultas para os alunos nesse processo, a saber: os mecanismos linguístico-discursivos responsáveis pelo gerenciamento de vozes, tais como verbos de dizer, adjetivos avaliativos, modalizadores, etc. Os dados apresentados, analisados à luz do paradigma qualitativo de pesquisa, consistem em (i) transcrições de duas aulas do professor de linguística, que, nessa turma, deu orientações sobre a escrita da resenha antes de solicitar para os alunos a produção do gênero, e de (ii) entrevistas com três alunos acerca dessas aulas. Vale ressaltar que esses dados são representativos de um corpus maior coletado na referida instituição durante uma pesquisa de mestrado, na qual tematizamos os conflitos que emergem da escrita de resenha crítica no Ensino Superior (OLIVEIRA, 2011). A análise baseia-se em alguns trabalhos de pesquisadores que investigam, no âmbito da área dos Novos Estudos do Letramento, os Letramentos Acadêmicos, enfatizando as abordagens sobre a escrita no Ensino Superior e as dimensões que ficam ocultas no processo de ensino da escrita acadêmica (LEA, STREET, 1998; JONES, TURNER, STREET, 1999; LILLIS, 1999; 2008; STREET, 2003; 2008, entre outros). Assim, através da análise dos dados pudemos constatar que, na transcrição das aulas analisadas, os mecanismos linguístico-discursivos responsáveis pelo gerenciamento de vozes no gênero em questão quase não são abordados, uma vez que o professor prioriza o ensino de outras dimensões da resenha, tais como os seus aspectos estruturais. Já a análise da transcrição das falas dos alunos indica dúvidas relacionadas justamente ao uso desses mecanismos, ou melhor, à expressão da subjetividade do autor da resenha e a como fazer menção a voz do autor do texto base da resenha, visto esses mecanismos não terem tanta visibilidade nas aulas destinadas ao ensino ou à orientação da escrita desse gênero. Concluímos que, entre outros motivos, esses mecanismos não são ensinados, ficando ocultos para os alunos, em virtude de alguns modelos de letramento presentes na universidade que desconsideram as histórias pregressas de letramento dos alunos e partem do pressuposto de que as convenções da escrita acadêmica são transparentes e, por isso, não precisam ser ensinadas. (Apoio: CNPq – Processo: 141328/2011-8)