logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Possíveis convergências teóricas entre os Anagramas de Saussure e o Curso de Linguística Geral
Autor(es): Marcen de Oliveira Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Saussure,Anagramas,Curso de Lingustica Geral
Resumo Ao final de 1905, em viagem à Roma, Saussure se depara com diversas inscrições latinas, em monumentos históricos, que despertam-lhe um peculiar interesse nessas escritas. Tal interesse lança-o a pesquisar um conjunto de textos literários que, de 1906 até ao fim das pesquisas, em 1909, Saussure manuscreve em torno de 120 cadernos, analisando autores diversos de diferentes períodos literários. A princípio, o genebrino investiga a poesia latina (versos saturninos), entrevendo a presença de uma repetição fonêmica, em relação à quantidade de vogais e consoantes. Porém, em julho de 1906, conforme atestam suas cartas, Saussure se dedica à prosa grega, e sinaliza a presença de anagramas, principalmente nos textos homéricos. Esse momento é decisivo, visto tratar de uma espécie de achado, cuja linearidade dos textos poéticos, camuflam palavras sob palavras, tal como nomeado posteriormente por Jean Starobinski (1974). Observa-se, então, que esse encontro, do Saussure com a poética, é regido por uma intensa elaboração terminológica, que objetiva formalizar o fato anagramático, dando-lhe consistência teórica. Nesse sentido, Saussure nomeia e categoriza aspectos desse fato, tais como palavra-tema, dífono, hipograma, entre outros, elaborando regras que refletem o modo de construção utilizado pelo poeta, na composição literária. Entretanto, ao considerarmos que Saussure, nesse ínterim, ministrava os cursos de linguística geral em Genebra, surgem as seguintes questões: a produção sobre os anagramas pode conter elementos teóricos que se relacionam a conceitos presentes no Curso de Linguística Geral (1916), tais como as noções de língua, signo e teoria do valor? De que modo essas relações conceituais podem ser estabelecidas? A partir desses questionamentos, proponho dois momentos nessa exposição: a) observar o modo de construção terminológica e o funcionamento do fato anagramático em Saussure e b) pontuar e refletir sobre possíveis correlações teóricas que surgem entre os anagramas e o Curso de Linguística Geral. A partir desses objetivos é possível compreender, em certa medida, como elaborações tão distintas, como os anagramas e o CLG, se associam no universo dos estudos sobre a língua e a linguagem.