logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A incorporação nominal em línguas indígenas sul-americanas
Autor(es): Angel H. Corbera Mori. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Lnguas Amerndias,Lnguas Amaznicas,Incorporao nominal
Resumo O estudo das línguas ameríndias tem cobrado uma relevância importante nos últimos anos, fato que se verifica na organização de simpósios específicos sobre essas línguas tanto nos congressos nacionais quanto nos internacionais. De fato, diversos fenômenos linguísticos que caracterizam as línguas ameríndias, dentre elas as faladas em território brasileiro, vêm merecendo a atenção dos estudiosos tanto daqueles que focalizam a natureza da linguagem humana como propriedade universal, assim como daqueles que abordam as línguas naturais em suas características específicas. Dentre os processos morfossintáticos bastante recorrentes que encontramos na gramática das línguas ameríndias dizem respeito ao processo de incorporação nominal, tópico que será abordado na presente comunicação. A incorporação nominal tem sido considerada como um mecanismo em que o nome com a função sintática de argumento interno, em alguns casos também de argumento externo, de um verbo transforma-se em um modificador desse verbo, obtendo-se como resultado um verbo complexo com um argumento menos que o verbo original, o que tem caracterizado esse processo como tipicamente, mas não necessariamente, intransitivizador. Os estudos, desde uma perspectiva funcional-tipológica, das línguas ameríndias mostram que em uma construção prototípica, o complexo nome-verbo resultante forma uma única palavra fonológica, seguindo os padrões fonológicos da formação de palavras da língua em questão. Como mostram os trabalhos de Payne (1990), Dixon e Aikhenvald (1999), a incorporação nominal é um traço muito relevante de muitas línguas faladas na região amazônica. Além da incorporação estrita de nomes no verbo, nas línguas amazônicas esse processo inclui também a incorporação de aposições e advérbios (Aikhenvald 2012). Além disso, um traço típico de muitas línguas amazônicas é que somente nomes obrigatoriamente possuídos, sobretudo partes do corpo, podem ser incorporados. Um segundo traço importante encontrado na incorporação nominal nas línguas amazônicas é o fato que quando se incorporam nomes, caracterizados como alienáveis, apresenta-se redução da valência do verbo, mas ao se incorporar um nome com a propriedade semântica de inalienável, a valência do verbo não é afetada. Para os objetivos dessa comunicação, os dados serão extraídos a partir de publicações variadas, principalmente teses e dissertações, considerando algumas línguas representativas de famílias linguísticas diferentes. A análise dos dados seguirão uma vertente teórica funcional-tipológica, norteada pelos trabalhos de Mithun (1984, 1986), Aikhenvald (2012), Štekauer et al. (2012), T. Givón (2001), Kroeger (2005), entre outros.