logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Ações telecolaborativas no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras
Autor(es): Daniela Nogueira de Moraes Garcia. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave Lnguas Estrangeiras,Novas Tecnologias,Teletandem
Resumo A incorporação das novas tecnologias na vida cotidiana da sociedade contemporânea é inquestionável, assim como as mudanças empreendidas pelas mesmas. Estamos diante de uma era tecnológica que alcança todos os setores, possibilitando um vivenciar de experiências inovadoras. O advento tecnológico se impõe, com destaque à utilização do computador e as conexões à internet, facilitando o acesso às informações e ao conhecimento. As ferramentas e recursos disponibilizados por tal aparato faz com que as noções de tempo e espaço sejam repensadas. A comunicação pode ser privilegiada para além das barreiras geográficas e das diferenças de horário, por exemplo, entre pessoas de diferentes países. No que diz respeito às ações pedagógicas, principalmente concernentes às línguas estrangeiras, a telecolaboração desponta como uma possibilidade muito profícua. Aqui, enfocamos o Projeto Teletandem Brasil: línguas estrangeiras para todos (TELLES, 2006) para discorrer sobre experiências telecolaborativas realizadas pela prática de teletandem entre alunos brasileiros, estudantes de línguas estrangeiras (inglês), e alunos estrangeiros, aprendizes de língua portuguesa. As sessões de teletandem são realizadas individualmente entre grupos de alunos, como supracitado, por meio de conferências via Skype, utilizando-se dos recursos de áudio e vídeo, com duração aproximada de uma hora. O teletandem, inspirado nas ações em tandem comuns na Europa, desde os anos sessenta, prioriza o uso da língua em situações autênticas de comunicação e se baseia nos princípios da reciprocidade, autonomia e uso separado de línguas. Após as interações, ocorre a sessão de mediação que é conduzida por um professor/mediador/pesquisador no intuito de fomentar a reflexão e auxiliar os aprendizes que realizam o teletandem de forma a maximizar o processo de ensino/aprendizagem no qual estão envolvidos. Apresentaremos, aqui, algumas parcerias e dados sendo atualmente coletados, sob uma metodologia qualitativa, de cunho etnográfico, com um olhar de pesquisa sobre as interações em si, a formação de professores e as sessões de mediação.