logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: UM BREVE LEVANTAMENTO DOS NEOLOGISMOS POR EMPRÉSTIMO NO LÉXICO KAIWÁ
Autor(es): Camila Andr do Nascimento da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Neologismo,Processos neolgicos,Lngua Kaiw
Resumo O léxico enquanto repertório de palavras traduz o pensamento das diferentes sociedades e busca a razão do porque o estudo do léxico implica resgatar culturas. O léxico de uma língua vive em constante desenvolvimento, diante dessas evoluções é importante saber quais as causas que levam à formação de novos itens léxicos e quais são os mecanismos utilizados nessa renovação lexical, levando em consideração que cada língua tem seus mecanismos próprios de formação de novas palavras. Com base nessas informações este trabalho reflete sobre o fenômeno do empréstimo linguístico, pela língua kaiwá, segundo a perspectiva do contato de línguas, ocasionado tanto pela proximidade, quanto pela situação de bilinguismo que suscita entre os indígenas e a sociedade envolvente, na busca pela comunicação e compreensão de suas diferenças. A pesquisa busca apresentar um levantamento lexical de palavras neológicas usadas no cotidiano dos indígenas kaiwá da Reserva Francisco Horta Barbosa, localizada no município de Dourados-MS. O objetivo da pesquisa é identificar e analisar empréstimos cedidos do português para a língua kaiwá. O presente trabalho focaliza o estudo da neologia das palavras, apontando os neologismos e empréstimos linguísticos encontrados no léxico Guarani, sendo mais especifica no contexto religioso, os dados foram coletados na versão kaiwá do Novo Testamento da Bíblia Sagrada (traduzida pela antropóloga Loraine Irene Bridgeman, publicada no ano de 1986) e ratificados por meio de entrevistas com informantes bilíngues que residem nas aldeias Jaguapirú e Bororó. Para tanto, seguimos, como referencial teórico, obras referentes a processos de formação de palavras, especialmente neologismos por empréstimo (fonológico, sintático e semântico), no que diz respeito a processos de formação neológica, ao neologismo dentro do conceito de palavra, bem como a algumas considerações acerca de estrutura linguística e semântica, com destaque para Alves (1994), Barbosa (1998), Basilio (1991), Biderman (1978), Câmara Júnior (1975), Carvalho (1989, 2009) e Ullmann (1964). Com estes autores podemos afirmar que neologismo é o resultado de uma constante renovação do léxico de uma língua, divide-se em neologismos fonológicos, sintáticos, semânticos e por empréstimo, categorias válidas para a classificação de inovações próprias. Partindo da ideia de que, ao tomar emprestada uma unidade lexical, os bilíngues se utilizam de conhecimentos muitas vezes parciais da língua-alvo, o objetivo primordial é fazer um breve levantamento das palavras neológicas existentes, apresentando alguns mecanismos utilizados para a renovação lexical de cada vocábulo, tendo como base a língua Guarani/Kaiwá em constante contato com o Português, idioma da sociedade envolvente.