logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A TELENOVELA E A SEMIÓTICA NA ESCOLA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO MÉDIO
Autor(es): Ana Paula Ferreira de Mendona. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave telenovela,leitura,campo lexical
Resumo Uma experiência de trabalho com capítulos de telenovelas realizada numa classe de segundo ano do ensino médio serve-nos de ponto de partida para a reflexão sobre uma possível utilização da teoria semiótica greimasiana na prática pedagógica de leitura de textos de diferentes gêneros, com especial atenção aos que se utilizam de linguagens sincréticas. Trata-se de um esboço de proposta contemplando alguns dos principais conceitos da semiótica narrativa e discursiva, aplicados a um corpus constituído por capítulos de uma novela de grande audiência, do qual extraíram-se cenas editadas e preparadas para a didatização. A pesquisa foi efetuada numa escola pública da cidade de Londrina, simultaneamente à exibição da novela Avenida Brasil, o que tornou possível o acesso a outras fontes de difusão dos paratextos que compuseram a experiência de leitura do folhetim: a internet, os jornais e revistas, as sinopses e a página da própria emissora, bem como as cartas de leitores e os textos humorísticos que circularam à margem do programa, muitas vezes interferindo em sua própria configuração. O material assim constituído amparou as aulas de língua portuguesa, seja pelo viés dos temas de interesse dos jovens, aproveitados para a discussão e produção de textos, seja pela presença, nos diálogos transcritos, de elementos linguísticos que puderam ser alvo de análise e assimilação nos exercícios voltados para a gramática da língua. No tratamento narrativo da novela, foram retidos para o trabalho em sala de aula os principais componentes das estruturas semionarrativas, nos níveis superficial e profundo. A fim de que os alunos se familiarizassem com os conceitos greimasianos, foi utilizada a proposta pedagógica de Georges Maurand (1992), denominada "montagem dos campos lexicais", cujo objetivo é explorar o texto em busca das principais redes lexicais, que são inventariadas e hierarquizadas, a fim de que se obtenham os percursos temático-figurativos que constituem a base semântica da narrativa.