logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Língua ofayé: um olhar sobre os neologismos formados por composição
Autor(es): Fabola Tobias de Alencar. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 23/10/2019
Palavra-chave Neologismo,Lxico,Lngua ofay
Resumo O contato dos índios Ofayé com o não índio motivou a criação de palavras na língua para designar objetos, profissões, entre outros. Esse processo de renovação lexical é denominado por Alves (2007) como neologia, enquanto que o termo resultante constitui o neologismo. Conforme Alves (2007), a composição implica a justaposição de bases autônomas ou não autônomas. Para ser considerado como tal, o neologismo composto deverá funcionar morfológica e semanticamente como um único elemento. Neste trabalho temos por finalidade analisar os neologismos sintáticos formados por composição na língua ofayé. Os Ofayé vivem em uma área de 1.144 hectares em duas aldeias, próximas ao município de Brasilândia, Mato Grosso do Sul, Brasil. Os ofayé somam aproximadamente 60 pessoas. A maioria fala somente português, sendo 9 os que falam a língua materna. Segundo Rodrigues (2000), a língua ofayé está inserida na família de mesma denominação, sendo a única sobrevivente, pertencente ao Tronco Macro-Jê. Como suporte teórico, recorremos aos pressupostos de autores como Guilbert (1975), Barbosa (1981), Carvalho (1990), Basílio (1991), Biderman (2001), Pilla (2002) e Alves (2007). A coleta de dados para as investigações dos neologismos na língua ofayé partiu de um levantamento de dados extraídos da tese de Oliveira (2006), que realizou uma descrição dessa língua nos seus aspectos fonológicos e gramaticais, e no dicionário ofayé-português-ofayé elaborado por Ferreira e Spanghero (2011), bem como entrevistas realizadas com falantes nativos. Para o trabalho de campo com falantes nativos, nos baseamos nas orientações encontradas em Kibrik (1977) e Bowern (2008). Por meio do estudo dos neologismos ofayé podemos observar que os neologismos que lançam mão do mecanismo da composição são formados, em sua maioria, pela justaposição de bases autóctones, como o termo ãgrejwe’ composto por ãgrej “olho” e we’ “buraco”, “bicicleta”; ãxaxenihi é formado pela composição de ãxa “vagina” e xenihi “tampa”, “absorvente; ãxajrae justaposto por ãxaj cujo significado é de “camisa, vestido” e era “comprido”, “padre”; ãfwatxajha’ composto por ãfwatxai “sapato” e ha’ “casca”, “meia”. A língua ofayé, em decorrência do número reduzido de falantes, é considerada uma língua ameaçada de extinção. Assim, nosso trabalho busca contribuir para documentação e promoção das línguas indígenas de Mato Grosso do Sul.