logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Ativismo LGBT na imprensa brasileira: análise crítica da representação de atores sociais na Folha de S. Paulo
Autor(es): Iran Ferreira de Melo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave
Resumo Nossa comunicação consiste no exame de como lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) – indivíduos de identidades historicamente excluídas da sociedade brasileira – são representados/as no discurso verbal de textos noticiosos publicados no jornal impresso de maior circulação do Brasil, Folha de S. Paulo. O material que serve de corpus à análise é composto por notícias sobre a realização do evento denominado “Parada do Orgulho LGBT”, ação coletiva organizada por grupos que atuam como militantes contra a homofobia e pela garantia de direitos sociais de LGBT na cidade de São Paulo. São textos sobre todas edições desse evento lançados no dia e na data posterior em que ele ocorre. O trabalho propõe investigar o discurso produzido nessas notícias, identificando e interpretando os recursos lexcogramaticais potencialmente capazes de produzir representações sobre os atores envolvidos nas paradas, a fim de aferir a participação do jornal na construção de sentidos sobre LGBT durante sua atuação política nas edições desse evento. Para tanto, essa investigação segue os pressupostos teórico-metodológicos de epistemologias críticas nos estudos linguísticos contemporâneos, particularmente aqueles cunhados no interior da Análise Crítica do Discurso (ACD), perspectiva de estudos que dialoga com teorias de diversas áreas do conhecimento na tentativa de compreender como os atores sociais reproduzem ou transformam a realidade através da linguagem. Trata-se de um programa de investigação científica que tem mantido com as Ciências Sociais Críticas estreita relação teórico-metodológica e que se estruturou sistematicamente nos últimos anos através de pesquisas desenvolvidas por diversos linguistas advindos de áreas como a Linguística de Texto, a Semiótica Social, a Linguística Sistêmico-funcional e a Sociolinguística Interacional, mas interessados pela Sociologia, Ciências Políticas, História e pela Psicologia Social. Restringiremos o enfoque à abordagem feita pelo linguista Norman Fairclough (2003), a partir do qual podemos refletir sobre o papel da linguagem como elemento constitutivo das práticas sociais e, portanto, componente de reprodução ou transformação da sociedade. Além disso, para subsidiar a compreensão sobre as categorias textuais que analisamos, nosso estudo se apóia em postulados teóricos cunhados por Michael Halliday (2004) sobre grupos verbais, expressos através do sistema de transitividade, e nos estudos de Theo van Leuween (2008) acerca de grupos nominais, em especial sobre itens lexicais que realizam a representação de atores sociais.