logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Por uma revisão da noção de sujeito e da predicação na teoria de gramática
Autor(es): Marcos Barbosa Carreira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave predicao,small clause,predicados secundrios
Resumo O objetivo desta comunicação é apresentar uma reflexão a respeito da predicação na gramática, no quadro da Gramática Gerativo-Transformacional. A idéia é, fazer um retorno aos trabalhos de Stowell (1981, 1983), Rothstein (1983, 2001), Williams (1980, 1983, 1987), Heycock (1994), entre outros, e traçar uma comparação das noções de sujeito e da predicação para cada um desses autores. Algumas questões específicas interessam a esse trabalho além da apresentação geral e do trabalho de comparação entre as diferentes propostas, a saber: o que é predicação; como essa relação se dá no nível sintático; o que seria uma definição adequada de sujeito; precisamos de uma noção de sujeito ou de várias; nesse contexto o que é um predicado também deve ser visto; o que os autores em questão falam a respeito da noção de sujeito e sua relação com a atruição de papel temático, entre outras questões secundárias. Esse trabalho se justifica na medida em que a referência a esses autores nas discussões sobre Small Clauses, predicados secundários e resultativas, é muitas vezes feitas de forma superficial e caricatural, o que acaba confundindo conceitos importantes e reduzindo o trabalho desses autores ao um aspecto de seu trabalho, ou ainda, a uma visão enviesada de suas propostas. A metodologia, dada a natureza deste tipo de investigação, é a de uma pesquisa de revisão bibliográfica. Esse trabalho é parte de uma pesquisa maior sobre a forma da predicação na gramática e que neste estágio, como parte de uma pesquisa de tese de doutorado, procura discutir essa predicação apenas dos casos que envolvem predicação secundária ou fenômenos relativos às Small clauses e sentenças copulares. Preliminarmente alguns resultados já podem se apresentados aqui. Para Stowell a predicação não é um primitivo, mas resultado de relação que se dá entre o spec e o núcleo da uma categoria, que, neste caso, é tomada como um predicado. A predicação é estrutural. Por outro lado, para Williams a predicação é uma relação primitiva que se estabelece por meio de um mecanismo de indexação. Apesar de parecer que Williams trata o sujeito como atribuição de papel temático do argumento externo, não é assim de fato, pois o sujeito pode estar associado tanto a uma posição de argumento externo, quanto a de qualquer outro argumento de um predicado. Assim, a proposta é revistar esses autores, recuperando seus insights e discutindo as dificuldades que cada um deles tem enfrentado. APOIO: UFPR/CAPES