logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Estudo léxico-semântico em sintagmas toponímicos de Iguape/SP
Autor(es): ROSELI DA SILVEIRA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave topnimos,espao,cultura
Resumo O ato de nomear sempre fez parte do cotidiano de todo e qualquer grupo humano. Dar nome a lugares e pessoas permite a individualização, a identificação de pessoas e lugares. O ato de denominar permite maior interação entre os seres humanos e, também, maior interação dos seres humanos com o meio em que vivem. A Toponímia ou o estudo dos nomes de lugares é um dos segmentos da Onomástica, parte da ciência linguística. Outro segmento da Onomástica é a Antroponímia ou o estudo dos nomes próprios individuais. Desse modo ambos estão contidos no sistema onomástico _ Toponímia e Antroponímia _ e este no sistema linguístico. O estudo dos topônimos de uma determinada região pode constituir, ao mesmo tempo, um registro científico, um resgate ou, até mesmo, a preservação da cultura e da memória dos povos que habitaram e que habitam aquele espaço. Portanto, este tipo de estudo tem caráter interdisciplinar porque perpassa a Geografia, a História, a Lexicologia, a Lexicografia, a Antropologia, a Cartografia etc. Ela é, para sua maior pesquisadora no Brasil,“antes de tudo, um imenso complexo linguístico cultural, em que os dados das demais ciências se interseccionam necessariamente e, não, exclusivamente.”(Dick, 1992). Assim sendo, de acordo com os tipos de denominação que se encontram em uma determinada região, encerradas em sua nomenclatura geográfica, abre-se um leque de possibilidades de estudos. Por meio das camadas onomásticas percebem-se, numa perspectiva diacrônica, as características do local, tanto nos seus aspectos físicos quanto nos sócio-culturais. O sintagma toponímico, assim denominado por Dick (1992), é formado por um termo genérico que se prende ao acidente físico ou humano propriamente dito, enquanto o termo específico que o segue é o topônimo do acidente. O objetivo desta comunicação é apresentar alguns dos topônimos mais frequentes em Iguape, litoral sul do Estado de São Paulo, quanto à motivação que os geraram. Partindo do princípio de que cada agrupamento humano possui uma percepção própria do espaço que ocupa, e que, segundo Lévi-Strauss (1962), o léxico reflete o “interesse” por determinado aspecto do ambiente, pretendemos pinçar do levantamento toponímico da região central de Iguape, feito com base nas cartas I, II e III do Instituto Geográfico e Cartográfico do Estado de São Paulo (IGC), escala 1:10.000, alguns topônimos para estudo.