logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Gêneros do discurso e multiletramentos: uma discussão dialógica
Autor(es): Rosineide de Melo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave gneros do discurso,multiletramentos,hibridismo
Resumo É notório que o perfil do alunado brasileiro tem mudado muito e rapidamente nos últimos anos e por vários motivos distintos e simultâneos. Em relação à educação, mais especificamente ao desempenho esperado, sistemas de avaliação como ENEM e ENADE apontam resultados insatisfatórios no que concerne às capacidades e competências mínimas esperadas dos alunos. Se por um lado observamos, nas últimas décadas, um número maior de cidadãos com acesso aos diversos níveis de escolarização – incontestavelmente, um avanço – observamos um insucesso dos resultados escolares, no interior da própria esfera escolar e acadêmica, com reflexos nas demais esferas sociais. No contexto dos sujeitos sociais da esfera escolar – alunos e professores –, insere-se a diversidade – em todos os sentidos – constitutiva do mundo moderno, em especial, das linguagens, suas modalidades, formas e meios. Essa pluralidade impacta diretamente a prática docente e, consequentemente, impõe novos desafios aos professores e pesquisadores. Nosso objetivo neste encontro é apresentar as discussões que temos estabelecidos acerca da releitura dos conceitos fundantes do Círculo de Bakhtin articulados a uma pedagogia das múltiplas linguagens e multiletramentos inspirada nos estudos do Grupo de Nova Londres. Em nosso entendimento, conceitos estáveis têm sido abalados pelo hibridismo que perpassa as novas modalidades de textos e de linguagens. Para estabelecer o diálogo teórico-metodológico com a teoria dos gêneros do discurso de orientação bakhtiniana, adotamos a concepção de multiletramentos, proposta pelo Grupo Nova Londres, que considera as práticas de letramentos implicadas de multiplicidade de linguagens na produção de textos multimodais e de pluralidade e diversidade cultural constitutivas dos sujeitos intermediados por novos textos. Consideramos que o ponto de embricamento entre a teoria dos gêneros do discurso e concepção de multiletramentos está na capacidade daquele se manter inacabado e, portanto, com possibilidades de abrigar novos textos, com novos suportes e com o hibridismo constitutivo dessas novas modalidades e formas. Nesse sentido, os pesquisadores do Grupo de Nova Londres propõem uma “pedagogia dos multiletramentos”, alertando para a necessidade de criação de ambientes de aprendizagem voltados ao mundo digital e à diversidade que isso possibilita e lembrando que os aprendizados cotidianos são diferentes dos aprendizados escolares, por isso o currículo e consequentemente as escolhas pedagógicas devem contemplar – dentre outros – aspectos culturais globais e regionais, de identidade, ou seja, de saberes significativos aos aprendizes.