logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A fé e o discurso: análise do discurso espírita
Autor(es): Tamiris Vianna da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave anlise do discurso francesa,semntica global,discurso esprita
Resumo O desenvolvimento deste trabalho sustenta-se pelo aparato teórico-metodológico da Análise do discurso francesa, com ênfase na abordagem interdiscursiva de Maingueneau. Segundo essa abordagem, a semântica global que compõe cada discurso define os diversos modos da subjetividade enunciativa. Nesse sentido, cabe a cada discurso definir o estatuto que o seu sujeito-enunciador confere a si e o estatuto que esse sujeito confere ao seu interlocutor. Desse modo, neste trabalho, procurando caracterizar o discurso espírita, analisamos a forma como o típico sujeito-enunciador desse discurso apresenta-se. Para isso, descrevemos alguns traços integrantes de sua semântica global, analisando, também, o ethos discursivo de um dos maiores representantes e propagadores desse discurso no Brasil. Para tanto, como córpus, selecionamos alguns materiais, de gêneros diferentes, representativos de tal discurso a fim de que pudéssemos realizar a análise. Primeiro, a obra Pinga-Fogo com Chico Xavier, em que foram transcritas, na íntegra, as antológicas entrevistas do médium mineiro Chico Xavier concedidas ao programa Pinga-Fogo, na TV Tupi, em 1971. Em seus trabalhos, Maingueneau considera o ethos como a imagem projetada de si mesmo pelo sujeito-enunciador a partir do modo como esse sujeito enuncia. O ethos não corresponde a falas diretas proferidas pelo sujeito a respeito de si, mas às características psicológicas de sua personalidade identificáveis e demarcadas a partir de sua maneira singular de expressão. Além do gênero entrevista, selecionamos algumas edições da “Revista Internacional de Espiritismo”, publicada mensalmente desde 1925, para constituição do córpus. A presença de diferentes materiais permite ao analista ampliar o universo em que determinado discurso é propagado. No caso do discurso espírita, trata-se de um tipo de discurso que enfatiza a necessidade de o ser humano compreender e respeitar opiniões diversas das pessoas, desde o envolvimento destas com diferentes religiões (a crença ou não na reencarnação) até questões polêmicas como o aborto, a eutanásia, a homossexualidade. Nesse sentido, dada a essa necessidade de respeitar, ser sujeito-enunciador do discurso espírita significa assumir o lugar da humildade, da simplicidade, da compreensão, pois é necessário colocar-se num lugar de enunciação que implica ter a capacidade de se colocar no lugar do próximo. Recorremos ao estudo e à investigação da atenuação dos modais do discurso do médium Chico Xavier, um dos maiores propagadores da doutrina no Brasil, para contribuir com a análise do discurso espírita. Com isso, podemos perceber a existência de um alto grau de proximidade entre quem profere o discurso e quem o segue.