logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: As fricativas sibilantes: relação entre letras e sons nas possíveis grafias das Cantigas de Santa Maria
Autor(es): Mariana Moretto Gementi. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Lingustica Histrica,Portugus Arcaico,Cantigas de Santa Maria
Resumo O objetivo deste trabalho é analisar as fricativas sibilantes nas Cantigas de Santa Maria e observar seu comportamento em relação à posição que ocupam na sílaba. Ou seja, pretende-se observar se existem as oposições apontadas pelos estudiosos, entre fricativas surdas e sonoras e entre dentais e alveolares, em todas as posições silábicas, ou se essas oposições são condicionadas pela posição da consoante na sílaba. Portanto, este estudo pretende investigar se, em todas as posições, as palavras contendo consoantes grafadas com ‹s›, ‹z› e ‹x›, e também as grafadas com ‹c›, ‹ç›, ‹sc›, ‹ss›, podiam alternar graficamente ou rimar entre si ou não, estabelecendo se, naquela época, havia ou não oposição entre os fonemas representados por esses grafemas, nos contextos de início e de final de sílaba. Isto é, o objetivo da pesquisa é investigar se, naquele momento, os processos de neutralização das fricativas existiam ou não no português, para estabelecer se esses grafemas representavam sons de caráter distintivo ou não no contexto de início e de travamento silábico. O quadro teórico metodológico baseia-se na observação da possibilidade de variação gráfica na representação das consoantes e na consideração da possibilidade de rima entre essas palavras específicas para determinar sua possível realização fonética naquela época. O corpus escolhido foram as cantigas religiosas medievais galego-portuguesas, as Cantigas de Santa Maria (CSM), mandadas compilar pelo Rei Afonso X de Castela, no último quartel do século XIII e tem como um dos objetivos chegar à descrição do componente fonológico da língua na época trovadoresca, formulando hipóteses de mudanças linguísticas ocorridas desde as origens do português até os dias de hoje. A justificativa de escolha do tema consiste no ineditismo, uma vez que adotamos uma metodologia que se utiliza de um corpus poético (as CSM) do período arcaico de nossa língua e é a partir de suas rimas que podemos reconhecer aspectos fundamentais das fricativas sibilantes de um período passado da língua segundo os modelos mais recentes da Fonologia. A relevância deste trabalho reside, principalmente, na descrição da relação entre letras e sons no que diz respeito às grafias possíveis da lírica medieval, tema inexplorado no que diz respeito à consideração da posição da sílaba, em uma abordagem não-linear.