logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: VARIAÇÃO, CONTEXTO E INTENCIONALIDADE NO GIBI CHICO BENTO
Autor(es): Arlete Mascarenhas dos Santos. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave Variao lingustica,Contextualidade, Intencionalidade
Resumo Esta pesquisa tem como objetivo analisar uma história em quadrinhos de Maurício de Souza, cujo personagem principal é Chico Bento, para compreender como o conceito de variação linguística e os aspectos da fala decorrentes dessa variação contribuem para construir o contexto situacional da enunciação e revelam a intencionalidade do enunciador, bem como contribui para o desenvolvimento de estratégias de leitura crítica desses textos de modo a identificar como diferentes modos de falar representam diferentes modos de ver o mundo e não apenas simples desvios da norma padrão, constituindo um estilo próprio do modo de ser caipira. O corpus selecionado para esta pesquisa é a primeira revista do Chico Bento que foi lançada em 1982 e a história tem o título na capa “Óia nóis aqui!”. O motivo da escolha do corpus é, justamente, a característica principal do personagem, identificado pela peculiaridade da fala. Trata-se de um menino caipira cujo dialeto constitui um relevante objeto para estudos das questões relativas à variação linguística e também um personagem que tem ampla difusão entre diferentes públicos no Brasil, sendo que isso se deve pelo modo de uso da língua que a HQ reproduz. O quadro teórico utilizado para a análise do texto é composto pela delimitação dos conceitos de variação linguística de acordo com Labov (1972), concebendo a variação linguística como um fenômeno sistemático, e não aleatório, através da correlação entre fatores linguísticos e fatores sociais, de situacionalidade quando parte da situação para o texto, refere-se ao conjunto de fatores que tornam um texto relevante para uma situação comunicativa em curso ou passível de ser reconstruída e intencionalidade, refere-se aos diversos modos como os sujeitos usam textos para perseguir e realizar suas intenções comunicativas ( Koch , 2004) . Desse modo pretende-se, por meio da identificação e descrição dos metaplasmos presentes na fala do personagem Chico Bento e dos demais personagens em contraste com a fala do criador, Maurício de Souza, compreender como esses fenômenos são utilizados com a finalidade de representar a vida rural idealizada e também exaltar os valores familiares tradicionais.