logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Duas estruturas distintas para os quantificadores flutuantes: uma análise de
Autor(es): Ana Paula Quadros Gomes, Helena da Silva Guerra Vicente. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave sintaxe dos quantificadores flutuantes ,projeo de grau ,quantificador universal distributivo
Resumo A flutuação de quantificadores (Q-float) tem recebido duas análises: (i) a do encalhe; e (ii) a adverbial. Para (i), os quantificadores flutuantes (QFs) se relacionam ao seu associado nominal de forma transformacional (Sportiche, 1988; Bošković, 2004). Em The children have all had lunch, the children move-se, deixando o quantificador encalhado na posição original. Já (ii) defende que QFs sejam gerados diretamente nas posições em que ocorrem, salientando sua distribuição adverbial (Bobaljik, 1995). Para Fitzpatrick (2006), ambas fazem previsões corretas sobre o fenômeno, que não seria uniforme. Em PB, demonstraremos haver duas sintaxes distintas para ‘todo’: (i) uma com movimento do DP e encalhe do QF, como em “Os alunos chegaram todos” (Vicente, 2006); e (ii) outra, adverbial, como em “O aluno chegou todo animado”, em que ‘todo’ é um intensificador como ‘muito’, não estando adjacente a uma posição de vestígio de DP, mas a um elemento pronominal nulo relacionado semanticamente ao seu associado nominal (Doetjes, 1997). O plural da sentença, “Os alunos chegaram todos animados”, expressa simultaneamente a ideia de que cada aluno do grupo chegou, e a de que eles estavam completamente animados. A concordância entre o QF e o DP mostra-nos que esses elementos estão de fato relacionados; ao mesmo tempo, o QF intensifica o adjetivo que o segue. Os intensificadores ocupam a posição de especificador de um Sintagma de Grau (Degree Phrase), cujo núcleo é um operador de grau não pronunciado (d) (Kennedy e McNally, 2005; Quadros Gomes, 2011). Propomos que, em PB, o DP (“os alunos”) e o adjetivo (“animados”) constituem uma small clause adjungida ao Sintagma de Grau, que, ainda, tem por complemento um pronominal nulo (pro) relacionado semanticamente ao DP movido (“os alunos”) e, obviamente, ao seu vestígio. Fitzpatrick (2006) observou que há concordância obrigatória de gênero e número entre o QF e seu associado nominal. Apontamos que a concordância também ocorre entre adjetivos (“animados) e seus argumentos (“os alunos”). De acordo com Link (1983), um artigo definido representa uma soma máxima. Por conter pro, coindexado ao DP com que concorda, o quantificador interage com a referência do DP, levando cada componente de sua soma máxima a saturar o predicado. Os dados do PB confirmam a intuição central de Fitzpatrick, e, dado a sintaxe das línguas românicas, em especial a do PB, revelar mecanismos menos visíveis em outras línguas, iluminam ainda mais o caminho.