logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Discurso, Letramento e Formação Docente
Autor(es): JOO FERREIRA DOS SANTOS. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave Anlise do Discurso,Formao Docente,Letramento
Resumo O Pró-Letramento é um programa de formação continuada de professores, para melhoria da qualidade de aprendizagem da leitura/escrita e matemática nos anos/séries iniciais do ensino fundamental. O Programa é realizado pelo MEC, em parceria com Universidades que integram a Rede Nacional de Formação Continuada e com adesão dos estados e municípios. Em meados dos anos 1980 se dá a invenção do letramento no Brasil para nomear fenômenos distintos daquele denominado alfabetização. Nos Estados Unidos e Inglaterra, embora a palavra literacy já estivesse dicionarizada desde o final do século XIX, foi também nos anos 80 que o fenômeno que ela nomeia, tornou-se foco de atenção e de discussão nas áreas da educação e da linguagem, o que se evidencia no grande número de artigos e livros voltados para o tema, publicados, a partir desse momento, nesses países, e se operacionalizou nos vários programas, neles desenvolvidos, de avaliação do nível de competências de leitura e de escrita da população (Barton, 1994 apud Soares, 2003). Sua tradução se faz na busca de ampliar o conceito de alfabetização, chamando a atenção não apenas para o domínio da tecnologia do ler e do escrever (codificar e decodificar), mas também para os usos dessas habilidades em práticas sociais em que escrever e ler são necessários. Leda Tfouni (2006) define letramento com um processo sócio-histórico que ocorre em uma sociedade quando suas práticas discursivas passam a ser sustentadas pela escrita. Segunda a autora, como as práticas letradas afetam TODOS os sujeitos usuários de uma língua, não é adequado afirmar que não-alfabetizados sejam iletrados. Para ela, o que existe são GRAUS DE LETRAMENTO, que acompanham a desigual distribuição de conhecimento que há nas sociedades modernas. Neste trabalho, discutimos a concepção de um programa , em larga escala, de formação continuada em alfabetização e linguagem para professores dos anos iniciais. Apresentamos uma breve introdução do programa e sua peculiaridade linguística, acerca da heterogeneidade e discursividade. Como metodologia, utilizaremos textos selecionados do Manual de Referência, entrevistas com professores-cursistas do município de Itabaianinha/SE, coordenadores municipais do programa, como também Tutores de apoio presencial nas gestões em que o programa foi desenvolvido. A análise da metodologia e discussão de pressupostos de trabalho é feita à luz da Análise do Discurso (AD), da literatura sobre atuação de professores e sobre formação continuada em leitura e escrita, em especial aquelas que consideram a formação de professores dos anos iniciais em alfabetização e linguagem.