logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A circulação da fórmula “cultura de paz” no espaço público e a instauração de uma polêmica discursiva
Autor(es): Helena Maria Boschi da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave frmula discursiva,Cultura de Paz,circulao
Resumo Tendo como aporte teórico-metodológico principal a Análise do Discurso francesa de base enunciativa e, em especial, a obra “A noção de ‘fórmula’ em análise do discurso: quadro teórico e metodológico” de Alice Krieg-Planque, este trabalho tem como objetivo mostrar o percurso da fórmula discursiva “cultura de paz” no espaço público com ênfase no período compreendido entre os anos 2000 a 2010, considerado pela ONU como a “Década Internacional para uma Cultura de Paz e Não Violência para as Crianças do Mundo” (UN Resolution A/RES/53/25). No programa da década, os pontos fundamentais estabelecidos para a “cultura de paz” foram: “Cultura de Paz através da educação”, “Economia sustentável e desenvolvimento social”, “Compromisso com todos os direitos humanos”, “Equidade entre os gêneros”, “Participação democrática”, “Compreensão, tolerância e solidariedade”, “Comunicação participativa e livre fluxo de informações e conhecimento” e “Paz e segurança internacional”. Como se vê, a ideia da “cultura de paz” se originou em “temas-conceitos” bastante opacos, que criaram um terreno fértil para a polêmica discursiva. Buscando mostrar o desenvolvimento desse acontecimento discursivo no Brasil a partir da circulação desse sintagma como uma fórmula nos discursos institucionais – ou seja, levando em consideração que a dimensão de seus desdobramentos só pode ser apreendida na rede interdiscursiva produzida pelas mobilizações que se fizeram dele no período em questão –, montamos nosso córpus com base em ocorrências tanto em jornais de circulação nacional (Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo e Brasil de Fato, via acervos digitais) quanto em buscadores on-line (com particular atenção ao Google Search, por ser o mais utilizado segundo estatísticas da Alexa, empresa especializada em medições e estatísticas da web). Analisando discursivamente os dados obtidos, mostraremos como esses temas se concretizaram ou foram apagados, verificando a circulação dessa fórmula e, mais precisamente, as práticas que a cristalizam e que são, ao mesmo tempo, por ela instituídas, num paradoxo constitutivo.