logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Causa e condição: uma interpretação semântico-pragmática
Autor(es): Ana Paula Cavaguti. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave locues conjuntivas,oraes causais,oraes condicionais
Resumo O objetivo central deste trabalho é investigar e descrever as relações causais e condicionais expressas pelas locuções conjuntivas dado que, desde que e por uma vez que no português contemporâneo do Brasil. Baseada no funcionalismo de Hengeveld (1998), Hengeveld e Mackenzie (2008), Sweetser (1990), entre outros, esta pesquisa fornece as regularidades dessas locuções em contextos reais de uso. O córpus se constitui de textos escritos obtidos no Corpus do Português, disponível em: , por meio dos quais, analisam-se: (i) a ordem frasal dominante da oração causal/condicional em relação à oração-núcleo; (ii) as correlações modo-temporais; (iii) os parâmetros semânticos propostos por Hengeveld (1998) – tipo de entidade, factualidade, pressuposição e dependência temporal; (iv) níveis e camadas de Hengeveld e Mackenzie (2008), e (v) os domínios de Sweetser (1990). No que diz respeito aos fatores pragmáticos, especificamente aos domínios propostos por Sweetser (1990), os dados revelam que as orações causais representam modificadores predicacionais, com leitura no domínio de conteúdo; as orações condicionais são modificadores proposicionais, com leitura no domínio epistêmico. Examinada a estrutura semântica interna dessas relações, verifica-se que as orações causais designam entidades de segunda ordem, são sempre factuais e possuem referência temporal independente da referência temporal da oração-núcleo. As orações condicionais, por sua vez, designam entidades de terceira ordem, são não-factuais e dependentes em relação à referência temporal da oração nuclear. A semelhança entre essas orações se refere à pressuposição: ambas veiculam informação não-pressuposta. Elas são compatíveis também, pelo fato de que, independentemente da locução conjuntiva, todas as orações veiculam informação consensual, compartilhada entre falante e ouvinte. Outro critério semântico examinado que permite identificar o valor causal e o condicional é o modo verbal, que segundo Hengeveld (1989; 1998) e Hengeveld e Mackenzie (2008), diz respeito ao estatuto de realidade/irrealidade. Constata-se que o modo indicativo caracteriza os empregos com sentido causal, e o subjuntivo é peculiar do uso condicional. Quanto à estrutura formal, examina-se a posição das orações adverbiais em relação à nuclear. Como as orações iniciadas por dado que, desde que e por uma vez que exercem a função sintática de advérbio, elas apresentam mobilidade em relação à ordem, que reflete as funções discursivas. Assume-se, portanto, que a ordem é pragmaticamente motivada. Esta pesquisa visa não apenas ao conhecimento aprofundado sobre o uso efetivo de uma língua natural como também a fornecer dados linguísticos significativos para o tratamento automático da linguagem.