logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: "Consciência negra": a constituição de uma fórmula discursiva
Autor(es): Helio de Oliveira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave conscincia negra,frmula,contexto discursivo
Resumo Inserido numa pesquisa que mobiliza a noção de fórmula em Análise do Discurso, esse texto explora os conceitos de texto-chave e contexto – elementos constitutivos do regime formulaico – conforme propostos por Krieg-Planque (2003, 2010, 2012). Definida como “um conjunto de formulações que, pelo seu emprego em um momento e em um espaço público dados, cristalizam interesses políticos e sociais”, a fórmula se apresenta como um “lugar” privilegiado para “compreender a forma como os diversos atores sociais organizam, por meio dos discursos, as relações de poder e de opinião” (KRIEG-PLANQUE, 2010, p.09). Além das características constitutivas da fórmula, Krieg-Planque explicita um aspecto fundamental desta noção: a natureza paradoxal de seus contextos, que são ao mesmo tempo constituídos/constituintes do regime formulaico. Esses contextos são discursivos por excelência, ou seja, não são o simples resultado de uma conjuntura histórica ou social que assim “produziria” fórmulas. Em vez disso, “pertencem à ordem do real discursivo e simbólico que a própria fórmula revela” (idem, 2012). Segundo a autora, aparecem na forma de a) textos-chave como documentos, relatos, lendas, mitos etc.; b) nomes próprios de acontecimentos; c) citações de autoridade; d) slogans; e) imagens (geralmente icônicas); todos relacionados ao traço de referente social que uma determinada fórmula carrega: ela pretende significar a mesma coisa para todos e por isso é objeto de frequentes e variadas polêmicas. O corpus é constituído de enunciados extraídos de diversos gêneros, tanto da mídia impressa como digital, organizados a partir das ocorrências da (suposta) fórmula “consciência negra” e suas variantes – paráfrases, retomadas, reformulações. No Brasil, comemora-se o “dia da consciência negra”, também chamado de “dia do orgulho negro”, há concursos de “beleza negra”, prêmios de “Arte e Cultura Negra” (por exemplo, o Prêmio FUNARTE de arte negra), uma Secretaria Especial de Política de Promoção da Igualdade Racial, diversas associações que se declaram inseridas no “Movimento Negro”, além de uma série de documentos, estatutos, relatos, slogans e citações de autoridade que se apresentam como verdadeiros contextos discursivos da formulação “consciência negra” – sintagma que emerge como o mais frequentemente citado. Identificar e analisar esses contextos é o principal objetivo dessa primeira etapa do trabalho. A propósito da circulação do termo citado, locutores discutem ampla temática: política de cotas universitárias, pobreza, violência contra minorias, estereotipia etc. É nesse âmbito que uma fórmula se torna ponto nevrálgico de encontro e confronto entre discursos. UNICAMP / FEsTA