logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: RETROAÇÃO DE DATAS EM PALAVRAS SUFIXADAS EM –MENTO, NO PORTUGUÊS.
Autor(es): rica Santos Soares de Freitas. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave etimologia,lexicografia,datao
Resumo Este trabalho faz parte de uma pesquisa mais extensa, cujo objetivo principal é estudar, diacronicamente, a formação de palavras do português, com ênfase no processo de sufixação. Nosso trabalho é direcionado ao estudo morfológico semântico e lexicográfico; nele, observamos palavras portuguesas formadas pelo sufixo derivacional –mento (do latim, –men, –mentum) e suas datações, por meio de paráfrases indicadas no Dicionário Houaiss da língua portuguesa (2001), contrapondo-as com outras existentes em documentos antigos, como os que constam no Corpus do Português (www.corpusdoportugues.org), e também em outras obras lexicográficas, como as de Ernout & Meillet (2001), Gaffiot (1934), entre outras. Observamos as palavras portuguesas formadas pelo sufixo derivacional –mento: de 2.772 palavras terminadas em –mento em Houaiss (2001), 1.297 possuem indicação de sua formação (datação); organizando-as por séculos, identificamos os picos de produção das palavras sufixadas em –mento no português nos séculos XV, XIX e XX, respectivamente 19%, 23% e 18%. Conforme Alves (2004), embora ocorram arbitrariedades nas obras lexicográficas, elas são o paradigma que indica se uma determinada palavra faz parte ou não de uma língua e, portanto, deveriam ser confiáveis. Identificamos possíveis equívocos na datação de algumas palavras de nosso corpus, o que fez com que retrocedêssemos algumas datas. Além disso, conseguimos identificar a ocorrência em determinada época de palavras sem datação indicada no Houaiss (2001). Há, portanto, muitas palavras derivadas em –mento inseridas como verbetes em Houaiss (2001) com as datas de origem equivocadas, seja por sua base serem datadas em etapas posteriores, ou ainda por existirem no latim: eram, de fato, neologismos e se desneologizaram (visto que estão indicadas no dicionário), ou simplesmente foram inseridas numa obra lexicográfica por constarem numa abonação confiável? Deste modo, proporemos um modelo lexicográfico para algumas palavras de nosso corpus, com confiáveis abonações. Embora existam várias formas de avançar no conhecimento de um determinado fenômeno, buscamos na pesquisa diacrônica uma forma de contribuir com a correção da datação das palavras sufixadas em –mento, na língua portuguesa, a fim de apresentar, inclusive a importância da filologia com “o seu trato contínuo com os textos das eras já passadas, necessitam, a cada momento, de conhecer a primitiva significação do vocábulo já tornado incompreensível e a procedência de certos termos incorporados ao vocabulário do idioma.” (BUENO, 1963, p. 184).