logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Uma análise entoacional a partir da relação entre dados acústicos e auditivos.
Autor(es): Mariane Carvalho. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Anlise acstica e auditiva,Halliday (1970),Pierrehumnbert (1980)
Resumo Atualmente, uma grande parte dos foneticistas está mais interessada nos estudos acústicos do que nos auditivos. Isso porque eles acreditam que os dados estatísticos são mais precisos aos estudos linguísticos. Com isso, a questão auditiva (perceptiva), por ser considerada insegura e pouco viável para as análises, é deixada de lado e passa a ser alvo de muitas polêmicas. Diante disso, o objetivo deste trabalho consiste não em privilegiar uma das duas perspectivas, criando um abismo entre elas, mas sim em integrá-las, mostrando que a melhor saída está na união dos dois métodos. Para isso, serão utilizadas duas abordagens teóricas, uma de base auditiva e outra de base acústica. A primeira refere-se aos estudos de Halliday (1970), adaptado para o Português do Brasil por Cagliari (1982/2007) e descreve a entoação a partir de um modelo de gramática funcional. Nesse modelo a entoação é descrita juntamente com os padrões de tonicidade, que define o ritmo; de tonalidade, que descreve os grupos tonais e suas relações sintáticas e semânticas; e, dos tons, que caracteriza os padrões entoacionais. A outra é de base gerativa e diz respeito ao modelo autossegmental proposto por Pierrehumbert (1980). Em sua proposta, a autora explica, através de uma descrição fonológica, vários detalhes sobre a medição instrumental da frequência fundamental (F0) e estabelece novos padrões fonéticos. Os conceitos propostos por essas duas metodologias serão aplicados à análise de um pequeno fragmento do livro História sem fim de Michael Ende (sd). O trecho foi lido por um falante adulto da cidade de Araraquara e os dados foram processados através do programa Praat. A partir da segmentação do material sonoro, os enunciados serão analisados de acordo com a metodologia proposta nos dois modelos teóricos. Em seguida, os padrões fonológicos obtidos para cada tom com o modelo funcional serão convertidos para a forma fonológica de Pierrehumbert, para verificarmos a aproximação ou não entre os dois modelos. Também será feita uma descrição formal das duas metodologias, mostrando em quais pontos elas aproximam-se e, consequentemente, se distanciam. Assim, este trabalho pretende reconhecer a importância da relação entre os estudos acústicos e auditivos, mostrando que é possível lidar com realidades diferentes, já que o cérebro humano não consegue distinguir certas variações físicas da frequência fundamental e os dados acústicos vem apoiar o que o ouvido processou, revelando detalhes que ajudam o linguista a correlacionar fatos da fala com fatos do sistema da língua.