logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: AS HIPERSEGMENTAÇÕES NA ESCRITA INICIAL DE ADULTOS
Autor(es): Carmen Regina Gonalves Ferreira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Aquisio da escrita,Hipersegmentao,EJA
Resumo A tarefa de descobrir o que vem a ser uma palavra é, segundo Abaurre (1991), um dos muitos problemas que o alfabetizando enfrenta ao se deparar com o sistema de escrita. Os critérios utilizados pelas crianças na tentativa de representar esse sistema configuram-se em indícios da forma como estão construindo um conhecimento sobre a sua língua. Pesquisadores como Abaurre (1991), Abaurre e Cagliari (1985), Chacon (2004) e Cunha (2004) analisaram, em produções infantis, a dificuldade que a criança apresenta em definir os limites gráficos de uma palavra e observaram que as escolhas de onde segmentar não são decisões aleatórias, mas parecem estar sendo influenciadas por critérios linguísticos específicos. Com o objetivo de verificar se os adultos em fase de alfabetização também passariam por processos semelhantes àqueles observados em estudos que analisam as escritas infantis, foram analisados os dados de hipersegmentação (inserção indevida de espaços no interior da palavra), extraídos de textos produzidos por alunos pertencentes à 2ª etapas de EJA (Educação de Jovens e Adultos). Os dados foram analisados e coletados a partir de 10 oficinas de produção textual que visavam à obtenção de textos criativos e espontâneos. Todas as atividades de escrita foram precedidas por meio de atividades de pré-leitura e de debates que estimularam a criatividade e a espontaneidade nas produções. Verificou-se na distribuição dos dados de hipersegmentação que, assim como na escrita infantil, os adultos também segmentam a palavra deixando à esquerda uma palavra que corresponde a um clítico da língua, após uma sequência correspondente a um pé troqueu, o que mostra a preferência pela forma de palavras dissílabas e paroxítonas, conforme já referido por Abaurre (1991). Nesses casos, o adulto, talvez por reconhecer a sílaba inicial da palavra como uma palavra gramatical da língua escrita, a isola, propiciando a formação de duas palavras, uma gramatical e outra fonológica (Ex.: a migo/amigo). Conforme os estudos de Cunha (2004), o troqueu silábico parece ser um dos grandes motivadores na inserção de espaços, no que se refere aos dados de hipersegmentação na escrita infantil e tal preferência parece incidir também nos dados de escrita inicial de jovens e adultos. Considera-se que a descrição e análise de tais processos, presentes na escrita inicial adulta, podem fomentar reflexões capazes de auxiliar alfabetizadores em suas ações pedagógicas no que se refere ao ensino de EJA.