logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A PRESENÇA DE ATOS RESPONSIVOS EM TEXTOS PRODUZIDOS PARA O ENEM/2004
Autor(es): ISABEL CRISTINA MICHELAN DE AZEVEDO. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Ato Responsivo,Bakhtin,Estratgias Argumentativas
Resumo Desde a primeira edição do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), em 1998, os participantes produzem textos que tratam de temas relevantes no cotidiano. Em 2004, os sujeitos deveriam desenvolver o tema Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação? Diante de cinco fragmentos de textos, reunidos na prova, o estudante precisaria construir uma proposta de intervenção social para o problema sugerido. A dissertação produzida também deveria persuadir o outro a aderir às ideias apresentadas, o que solicita o exercício de diversas estratégias argumentativas, que a Nova Retórica, a partir de PERELMAN & OLBRECHTS-TYTECA, (1958), Meyer, Reboul, Mosca e outros, auxilia a compreender. Essa exigência requer dos sujeitos a realização de atos concretos, que, segundo Bakhtin e o Círculo, implica o aqui e agora, relativo ao mundo dado, e o modo de organização dos conteúdos a partir da apreciação valorativa dos acontecimentos por seus produtores e interlocutores. Trata-se de uma ação única, singular, irrepetível, mas que gera um produto de acordo com formas repetíveis, disponíveis na língua, por isso é possível mapear as forças que contribuem para a construção dos sentidos. Tendo como corpus textos elaborados para o ENEM em 2004, consideraremos para a análise os enunciados concretos, entendidos como atos de linguagem. Procuraremos investigar as significações das sequências discursivas que articulam os elementos linguísticos e extralinguísticos, visando apreender a língua, o sujeito e a história, em funcionamento, uma vez que o conjunto das referências permite investigar as regularidades enunciativas e a dispersão de sentidos que se vê presente no jogo interacional do qual todos participamos (FIORIN, 2002). Como cada sujeito está sempre inserido na complexidade das situações concretas, a apreensão inteligível de seu ser sensível dependerá de uma análise que considere o mundo construído pela linguagem e não apenas os dados provenientes da realidade circundante. A análise qualitativa dos dados será filtrada de acordo com critérios estabelecidos a priori e estará situada em um momento sociopolítico e historicamente marcado. Neste trabalho, foi possível perceber, por meio da escrita, que o eu referencializado no enunciado representa convocações enunciativas de natureza social, histórica e cultural (DISCINI, 2004), indicando um contexto de ação que envolve tanto o princípio dialógico quanto os elementos sócio-históricos que formam o contexto mais amplo, interativo, na direção da polifonia.