logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A variação entre ter e haver em construções existenciais na fala e na escrita da variedade riopretense
Autor(es): Carolina Sartori de Oliveira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave variao,ter,haver
Resumo Esta pesquisa, referente a um projeto de nível mestrado que se encontra em seu segundo ano de desenvolvimento, tem como objetivo geral verificar, com base em uma distribuição por tempo aparente, se na fala de São José do Rio Preto o processo de variação entre as formas ter e haver existenciais está consolidado, e, ao mesmo tempo, verificar na escrita de crianças do segundo ciclo do ensino fundamental, se ocorre o mesmo processo, ou se ocorre um processo secundário, puramente escolar, de aquisição de haver existencial. O processo de variação entre as formas ter e haver em construções existenciais já foi investigado em várias regiões do Brasil e, inclusive fora do Brasil, como em Lisboa, além disso, esse fenômeno também foi investigado por algumas literaturas de extrema relevância para o desenvolvimento deste trabalho, como as pesquisas de Ribeiro (1996), Franchi et alii (1998), Vitório (2007; 2010a; 2010b), Callou e Avelar (2000), Martins e Callou (2003), Duarte (2003), Almeida e Callou (2003) e Avelar (2006a; 2006b). Para o estudo desse fenômeno, o modelo que fornece suporte teórico a esta pesquisa é o da Sociolinguística Variacionista, em que Weinreich, Labov e Herzog (1968; 2006) definem a língua como um objeto heterogêneo, ou seja, dotado de variações. A investigação da variação existente entre ter e haver existenciais na variedade riopretense é realizada por meio de observação tanto em um corpus de língua falada quanto em um corpus de língua escrita. O corpus de língua falada constitui-se de 152 narrativas de experiência pessoal dispostas em transcrições retiradas do Banco de Dados Iboruna, obtido pelo Projeto ALIP- Amostra linguística do Interior Paulista, e o corpus de língua escrita constitui-se de 1.224 textos de crianças de 5ª e 8ª série pertencentes ao Banco de Dados de Produções Escritas do Ensino Fundamental, organizado pela professora Luciani Tenani para servir de base ao projeto de pesquisa “Aspectos segmentais e prosódicos da escrita de crianças e adolescentes: evidências de relações entre enunciados falados e escritos”. Para a avaliação dos verbos ter e haver em construções existenciais serão observados os fatores extralinguísticos faixa etária, sexo/ gênero e escolaridade, e os fatores linguísticos especificidade semântica do argumento interno, tempo verbal e tipo textual. Por fim, o processamento dos dados de fala e escrita serão analisados de forma eletrônica pelo programa GoldVarb, de maneira que os resultados quantitativos obtidos permitam a formulação de generalizações qualitativas sobre a variedade investigada. (Apoio: CAPES)