logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: INTERTEXTUALIDADE E REFERENCIAÇÃO ANAFÓRICA COMO PRINCÍPIO DE INTERPRETABILIDADE EM ARTIGOS CIENTÍFICOS
Autor(es): Elizete Ins Paludo, Aparecida Feola Sella. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave referenciao,intertextualidade,ensino
Resumo Este trabalho objetiva verificar o processo de retomadas na constituição de produções escritas promovidas por meio do Projeto Aplicação e Reflexão Teórica na Sala de Aula: Análise Linguística como Suporte para a Produção de Textos de Alunos de uma Escola Pública do Estado do Paraná, desenvolvido com apoio da Fundação Araucária, ocorrido entre os meses de maio e dezembro do ano de 2011. Recorreu-se ao “gênero artigo científico” como modelo de produção textual. Tomaram-se como corpus de análise uma redação tida como bem formulada e os textos que serviram de base para insumo de leitura, antes da produção textual propriamente dita, cuja temática foi “Dia Internacional da Água”. Além da característica de ser bem formulada, também se considerou o índice razoável de intertextualidade com relação aos textos lidos, presente na redação selecionada. Concebe-se que o processo de referenciação mobiliza opções do produtor do texto e também revela pontos de vista que este vai assumindo ao longo de seu texto. Sob a ótica atual da Linguística Textual, com apoio em autores como Koch (1993, 2003, 2008, 2009, 2010) e Marcuschi (2001, 2010, 2012), propõe-se avaliar se a intervenção do Projeto acima descrito gerou novas formas de apropriação de pontos de vista lançados no processo de leitura. Sendo assim, o fenômeno da intertextualidade também será considerado como fator integrante da constituição das retomadas. Toma-se o conceito de intertextualidade conforme anuncia Koch, sendo que, embora no texto analisado se perceba maior ocorrência de anáfora correferencial, os casos de sinonímia, por exemplo, se explicam pelos encaminhamentos dados durante a realização do projeto, em que se pediu ao aluno que tentasse argumentar a partir de um posicionamento claro e definido. Sendo assim, no processamento sequencial do texto, verificou-se o modo como o produtor lida com o processo de retomada nas produções escritas, (re)construindo objetos-de-discurso, considerados juízos de valor e propostas argumentativas. Considera-se, assim, que essa investigação teórica pode contribuir para o desenvolvimento de produções textuais mais eficazes, com maior domínio dos recursos que a língua dispõe, a fim de que se garantam melhores resultados no ensino.