logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A produção de sentido no romance histórico italiano
Autor(es): KARINE MARIELLY ROCHA DA CUNHA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Romance Histrico,Os noivos ,Manzoni
Resumo Como romance histórico entende-se a obra literária que apresenta a mistura de um enredo ficcional total ou parcial e de personagens históricos, uma mescla de ficção e realidade. A primeira atestação do romance histórico na literatura universal é a da obra Ivanhoé do escritor escocês Walter Scott publicada em 1820. Na Itália, o romance histórico é representado por Alessandro Manzoni com o livro Os Noivos. A obra é ambientada por volta de 1628 e 1630, na Lombardia, durante um período muito conturbado: a ocupação espanhola e um grande surto de peste. A ideia de Manzoni porém não era apenas de escrever um romance histórico para trazer à tona a ocupação austríaca na época em que escreveu o romance em referência à ocupação espanhola, época que narrava o romance. As três vezes que o autor se propôs a (re)escrever a obra (1823, 1827 e 1842) apresentou preocupações do ponto de vista da compreensão dos seus leitores. A Itália era ainda um país dividido e sem identidade nacional e menos ainda linguística. A busca da produção de sentido em seu livro ia além do que se queria narrar, de uma história que ocorreu e poderia ser associada à realidade do período em que estava sendo narrada. Manzoni queria dar um sentido para a língua italiana, que essa língua por ele idealizada fosse compreendida de norte a sul do país. Sendo assim, existia a necessidade de se “criar uma nova linguagem para uma nova era”. Nesse trabalho temos como objetivo apresentar trechos das versões de Os Noivos e analisar como foi construído a noção de sentido e a produção de significados em uma língua italiana que até aquele momento, 1840, era somente acessível à elite letrada do país. Conhecedor da realidade do seu país Manzoni, em sua obra, tenta representar a população mais humilde na criação de diálogos e a população mais culta nas partes das narrações. Porém há alguns pontos em que as duas produções se encontram e o sentido se (des)faz como o dialógo entre Renzo e Don Abbondio, o portador do latinorum.