logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A (re)configuração do discurso sobre o professor nos entremeios da história
Autor(es): Valdomria Neves de Moraes Morgado. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 23/10/2019
Palavra-chave discurso,professor,histria
Resumo Não é privilégio de nossos tempos o debate sobre o ensino público no Brasil. Se observarmos o caminho que a educação brasileira percorreu ao longo da história, verificaremos que ela carrega, desde outrora, o estigma de que os problemas que efetivamente afetam o ensino (público) estão intimamente ligados à figura do professor. Trata-se de determinadas práticas sociais que fazem emergir a repetição constante da ineficiência pedagógica dos professores. Nesse sentido, a discussão que nosso trabalho trava não é a confirmação de uma verdade cristalizada: a de que o professor é um dos principais responsáveis pela péssima qualidade do ensino público no Brasil, se não o principal, mas é uma das razões que nos faz perguntar como tal discurso faz emergir, em diferentes épocas e em diferentes suportes discursivos, o mesmo discurso, já que há uma elaboração discursiva histórica que gira em torno dos professores mal preparados, mal pagos e sem vocação para sê-lo. Assim, propomo-nos contrastar discursos dispersos e regulares historicamente como os materializados em relatórios, mensagens legislativas, cartas, decretos, leis e livros que abordam o ensino no Brasil, a partir de 1750. A tais documentos, juntamos outros textos divulgados na mídia, mais recentemente. Assinalamos que nosso objeto não preexiste às práticas sociais, são discursos produzidos historicamente, constituídos pelo conjunto de enunciados dispersos e heterogêneos que sustentam o verdadeiro de cada época. Verdadeiro que resvala nas imagens que se criam para o professor e que circula na escola e principalmente fora dela, revelando determinada identidade muitas vezes não escolhida por ele. Para essa discussão, buscamos os conceitos de documento, monumento, de identidade atrelada à visibilidade, da verdade e das relações de poder em Michel Foucault e em estudiosos que dialogam com tais postulações que, de alguma forma, nos ajudam a problematizar o modelo de professor fracassado instaurado ao longo da história. A visibilidade dada à imagem do professor, séculos após séculos, não teve força suficiente para modificar essas imagens geradas há tempos. Os rastros são visíveis e permanecem em nossos dias.