logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A multifuncionalidade dos verbos SER e ESTAR
Autor(es): Bruna Gois Pavo Ferreira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Funcionalismo,Multifuncionalidade Verbal,Verbos relacionais
Resumo Com base em uma abordagem funcionalista, objetiva-se fazer uma análise sobre o comportamento sintático e semântico dos usos dos verbos SER e ESTAR no Português do Brasil, de acordo com a pesquisa que vem sendo desenvolvida no âmbito do Projeto Predicar – Formação e expressão de predicados complexos: gramaticalidade e lexicalização, desde a Iniciação Científica e agora no Mestrado, a respeito dos verbos relacionais, especialmente de SER e ESTAR. Para tanto, conta-se com um conjunto de ocorrências desses verbos coletadas em textos orais e escritos. Recorre-se a orientações teórico-metodológicas e descritivas referentes ao estudo do processo de gramaticalização e, mais especificamente, de auxiliarização (HOPPER, 1991; HEINE, 1993); ao estatuto de verbo cópula suporte e à descrição de predicados nominais em S. Dik (1997); à concepção de categorização radial de formas linguísticas em Taylor (1995); e à multifuncionalidade verbal em Machado Vieira (2008). Os usos dos verbos são categorizados em um continuum de gramaticalização: de verbo predicador a verbo relacional. Busca-se examinar uma série de aspectos, tais como: (i) as diferenças relativas aos comportamentos desses itens como elementos lexicais e gramaticais; (ii) o nível de gramaticalidade dos verbos quando utilizados como relacionais; (iii) a configuração dos constituintes de predicação sobre os quais tais formas operam gramaticalmente; e (iv) o estatuto semântico de cada forma e diferenças entre elas. Com este trabalho, tenciona-se detectar problemas quanto à caracterização sintática e semântica dos usos dos verbos SER e ESTAR, com o intuito de verificar o que diferencia verbos predicadores de verbos relacionais, o nível de perda semântica do verbo em processo de gramaticalização e as estruturas que se ligam às formas verbais em seus diferentes usos. Em estudos iniciais, constatou-se que os verbos SER e ESTAR realizam-se normalmente como verbos relacionais no Português Brasileiro, em todas as modalidades, domínios discursivos e gêneros textuais analisados. Com o prosseguimento da pesquisa, busca-se aprofundar a análise desses verbos no que diz respeito à caracterização das possibilidades de predicações que auxiliam a configurar, a fim de contribuir para uma análise sintático-semântica mais aprofundada dos verbos em questão para o estabelecimento de generalizações quanto à descrição empírica dos usos dos verbos SER e ESTAR especificamente como relacionais e como predicadores. (Apoio: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq)