logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Uma análise pragmática, semântica e sintática do verbo poder no português do Brasil.
Autor(es): Ana Maria Paulino Comparini. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave auxiliaridade,anlise funcionalista,valores modais
Resumo Classificado tradicionalmente como um verbo auxiliar modal, o verbo poder vem despertando o interesse de estudiosos há bastante tempo, em função da variedade de valores que pode expressar e das funções que exerce nas construções que o incluem: ora como verbo auxiliar, ora como pleno. Essa ambiguidade em relação ao estatuto sintático do verbo poder soma-se à polissemia das expressões modais, o que torna o estudo do verbo poder ainda mais instigante, reforçando a sua complexidade. Concordando com Lobato (1975), entendemos que o verbo poder se constitui em um verbo polivalente, sendo vários os contextos em que pode ocorrer e várias as leituras que podem ser associadas a ele, mesmo em contextos semelhantes. E, é justamente este potencial polissêmico que justifica nosso interesse em desenvolver esta pesquisa. O objetivo maior desta investigação é analisar o comportamento pragmático, semântico e sintático do verbo poder no português do Brasil, buscando verificar se ele atua como verbo pleno ou auxiliar ou, ainda, se constitui uma categoria própria, intermediária entre os verbos plenos e os auxiliares. Adotando um modelo de análise funcionalista das modalidades (HENGEVELD, 2004; HENGEVELD e MACKENZIE, 2008), sustentamos a hipótese de que a categoria semântica dos diferentes alvos de incidência da qualificação modal, somada aos traços semânticos do participante sujeito, responde pela classificação dos valores modais expressos pelo verbo poder. Considerando ainda as relações hierárquicas entre as unidades semânticas previstas pelo modelo, é possível estabelecer uma correlação entre a camada em que se insere o alvo e a categorização da auxiliaridade. O material de análise desta pesquisa é composto por ocorrências extraídas de textos jornalísticos, literários e técnicos obtidos no banco de dados do Laboratório de Lexicografia da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara. Por meio da análise dos dados, identificamos usos do verbo modal poder como verbo pleno ou como verbo auxiliar. Mostramos também que a categorização da sua auxiliaridade é dependente do valor semântico expresso pelo modal, cujos valores são: dinâmico, deôntico e epistêmico. Em relação às unidades semânticas elencadas pelo modelo e as suas relações hierárquicas, verificamos ser possível estabelecer uma correlação entre a camada em que se insere o alvo de incidência da qualificação modal e a categorização da auxiliaridade, constatando que quanto mais baixa a camada, mais pleno será o verbo poder.