logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: O Papel do Ser Deôntico Orientador na Formação Crítico-Colaborativa-Criativa do Futuro Mestre: A Modalização na Orientação Escrita entre Orientador-Orientando
Autor(es): Maria Cristina Damianovic. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave Formao Orientador-Orientando,Pesquisa Crtica de Colaborao,Aspectos Enunciativos, Discursivos e Lingustico-Discursivos
Resumo Esta comunicação objetiva discutir, dentro da visão de Linguística Aplicada (in) e (trans)disciplinar (MOITA LOPES, 2009) o papel do orientador no processo de orientação escrita (DAMIANOVIC, ARAÚJO, LIMA, SILVA, 2013) sobre um material didático (RICHTER, 2012) sendo elaborado à luz da TASHC – Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural ( LEONTIEV, 1977; VYGOTSKY, 1930; ENGESTROM, 2008; LIBERALI, 2011). O referido material visa o ensino-aprendizagem da língua inglesa no primeiro período da graduação em Engenharia de Minas, de uma universidade federal, com o foco na atividade social (LIBERALI, 2009) participação em congresso internacional com a discussão de uma pesquisa científica por meio pôster acadêmico. Nesta visão, o ensino-aprendizagem da língua inglesa está vinculado ao incentivo do reposicionamento social (DAMIANOVIC, 2012) na formação do discente-pesquisador na esfera acadêmica quando na graduação. A metodologia de pesquisa está embasada na pesquisa crítica de colaboração (MAGALHÃES, 2010) que implica na intervenção direta na prática dos participantes, de modo a criar um espaço para a reflexão de suas ações (MAGALHÃES, 1994/2007, 2003/2007), possibilitando a compreensão da possível transformação pretendida. O material didático a ser apresentado será a primeira versão da primeira unidade didática de um total de dez. Como categorias de análise focais para a análise e discussão de dados, serão abordados o papel da orientação escrita para o desenvolvimento da compreensão dos aspectos enunciativos, discursivos e linguístico-discursivos (LIBERALI, 2012, a,b) e o papel das modalizações conceituadas, em sentido amplo, como o modo pelo qual o falante qualifica o enunciado por ele produzido exprimindo seu julgamento sobre as possibilidades ou obrigações envolvidas naquilo que está sendo dito. Koch (2002) descreve os modalizadores como sendo todos os recursos da língua que estão ligados ao evento de produção do enunciado e que funcionam como indicadores de intenções, sentimentos e atitudes do locutor com relação ao seu discurso. Os resultados ressaltam que depois da orientação escrita da primeira versão houve o início de uma produção compartilhada de significados sobre, principalmente, a forma como um material didático é elaborado alicerçado na TASHC.