logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Clíticos em contexto de variação na produção escrita do Mackenzie de 1890 a 1920
Autor(es): Enedino Soares Pereira Filho. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave Mudana sinttica,Sociolingustica,Mackenzie
Resumo Este breve estudo de caso almeja observar de que maneira a variável sintática colocação de clítico em ambiente de oração infinitiva introduzida por preposição era utilizada em documentos escritos pelo Colégio Mackenzie entre os anos 1890 e 1920. Com base no modelo laboviano de análise variacionista, elegemos essa variável linguística como nosso objeto de análise, pois esse é um contexto que não sofre estigma, pois as gramáticas não o condenam e mal conseguem descrevê-lo. Além do que, os pronomes clíticos - no português brasileiro - se encontram em um amplo contexto de variação que caminha para um processo de mudança sintática, ou seja, os clíticos estão sendo extintos do português brasileiro, substituídos por pronomes tônicos e outras formas nominais, além de seu completo apagamento quando o que temos são objetos nulos. De fato, a ênclise com a preposição "a" é categórica no português europeu, visto que as demais preposições selecionam a próclise. Já no português brasileiro da virada do século, tem-se a preferência pela próclise com todas as preposições. Porém, a análise do material produzido por presidentes republicanos da nação brasileira, por exemplo, mostra o uso quase categórico da ênclise com todas as preposições. Ou seja, esses presidentes não seguiam nem o nosso vernáculo nem o vernáculo português. Que regra, então, era essa que eles adotavam? A análise de cartas de escritores brasileiros ao longo do século XIX mostrou que os românticos usavam mais ênclise. Esses românticos tinham passagem pela Academia de direito de São Paulo. Imaginamos que o peso da Academia tenha prevalecido na escrita brasileira. Desse modo, concluímos que o uso de pronomes clíticos em textos produzidos pelo Mackenzie, se encontra em um contexto pleno de variação tanto no que diz respeito a formas clíticas (como a próclise e a ênclise que concorrem entre si) quanto na concorrência com outras formas de referenciação.