logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: ENCONTROS E DESENCONTROS ENTRE A TRADIÇÃO E O NOVO NAS PÁGINAS DA “ILUSTRADA”
Autor(es): Elaine Hernandez de Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 23/10/2019
Palavra-chave Conto maravilhoso,Linguagem dos quadrinhos,Enunciado concreto
Resumo Os quadrinhos lidam com reproduções facilmente reconhecíveis da vida humana, com experiências presumidamente armazenadas na memória do leitor, de que autor e leitor compartilhem dos mesmos conhecimentos prévios (EISNER, 2008). O compartilhamento dessas experiências, por sua vez, não se restringe ao âmbito temático, abarca a linguagem na e pela qual esses textos gráficos se realizam, entram em uso, de modo que sua materialidade verbo-visual (os quadros, balões, legendas, imagens de personagens, objetos e espaços, elementos lexicais, traços e fontes, cores, entre outros), os espaços que esses textos compõem (caderno de entretenimento ou seção de opinião do jornal, revistas em quadrinhos, livro de compilação, livro didático etc.), bem como sua esfera de circulação, são elementos que constroem sentido na interação entre os interlocutores. Buscando compreender alguns dos sentidos que se instauram na e pela linguagem dos quadrinhos, selecionamos, para esta análise, três tiras jornalísticas criadas pelo cartunista brasileiro Fernando Gonsales, que, publicadas na Folha de S. Paulo entre os anos de 2008 e 2012, recuperam o conto maravilhoso Cinderela ou A Gata Borralheira. Amplamente conhecido na contemporaneidade, esse conto é um recorte do material folclórico recolhido da tradição oral e publicado pelo escritor francês Charles Perrault em 1697 e, posteriormente, pelos filólogos e folcloristas alemães Jakob e Wilhelm Grimm entre os anos de 1812 e 1822. Esta análise está fundamentada no conceito de enunciado concreto, como a “unidade real na comunicação discursiva” ([1951-53] 2003, p. 274), encontrado no conjunto do pensamento de Bakhtin e o Círculo, principalmente nas obras O método formal nos estudos literários (BAKHTIN / MEDVEDEV, 1928), Marxismo e filosofia da linguagem (BAKHTIN / VOLOCHINOV, 1929) e no ensaio Os gêneros do discurso (BAKHTIN, 1951-1953). Com esta reflexão, esperamos avançar na compreensão dos novos sentidos que se estabelecem quando uma narrativa de tempos remotos – como é o caso de Cinderela – é submetida às especificidades da linguagem dos quadrinhos.