logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: CRÔNICA JORNALÍSTICA: UM GÊNERO EM MUTAÇÃO
Autor(es): Milton Gabriel Junior. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave crnicas jornalsticas,crnicas de noticia e do cotidiano,gnero em mutao
Resumo Esta comunicação está situada na área da Análise Crítica do Discurso, Linguística Textual, Linguística Textual-Disursiva e da sócio-retórica na vertente americana, têm por objetivo analisar as sequências textuais nos textos denominados colunas, publicados nos jornais paulistanos, a fim de verificar se esses textos pertencem ao gênero crônica; além de investigar e apresentar em como as crônicas jornalísticas se organizam no plano textual-discursivo verificando se esses textos estão se tipificando em um novo conjunto de gêneros. Tem –se por pressupostos inter-relacionar os postulados de Bazerman (2009), os esquemas textuais-discursivos de Adam (2010) e as categorias analíticas Discurso, Sociedade e Cognição da Análise Crítica do Discurso, van Dijk (1990, 1997, 2012). Focaliza-se no material utilizado, colunas/crônicas dos jornais paulistanos; o método adotado para análise é o teórico-analítico. Justifica-se a análise, uma vez que os estudos já realizados sobre as crônicas nacionais apenas trataram de sua organização textual ou buscam explanar sobre os aspectos da materialidade linguística que está sendo “guiada” pela situação de enunciação e não há um estudo que inter-relacione a linguística textual e a linguística do discurso buscando apresentar a construção textual-discursiva das crônicas jornalísticas, por meio dela poderá verificar e apresentar a composição: do plano descritivo da estrutura composicional, das tipologias, das sequências típicas e assim explanar sobre os aspectos da materialidade linguística, a qual é guiada pela situação de enunciação, o que levou a re-categorização do gênero crônica. Os resultados obtidos indicam que a crônica esta em mutação, agindo e interagindo no meio social ao criar realidades ou fatos sociais; as crônicas jornalísticas se constituem ações sociais construídas pela linguagem, uma vez que cria um sistema de valores e significações através do texto produzido, as ações sociais nós conseguimos identificar através dos mecanismos de textualização e delimitar o interdiscurso, o intertexto e o gênero, fazendo com que a crônica possua uma função e lugar social específico, com valor recorrente, ao criar um sistema de valores, significações pelas estratégias utilizadas na sua organização textual-discursiva.