logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: O LÉXICO RURAL NO BRASIL CENTRAL: DESIGNAÇÕES PARA “BRUACA”
Autor(es): Luciene Gomes Freitas Marins. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave lxico rural,regio Centro-Oeste,Projeto ALiB
Resumo A análise do vocabulário veiculado pelos habitantes da região Centro-Oeste do Brasil, cuja economia ainda é predominantemente alicerçada na agropecuária, pode fornecer elementos para a compreensão não somente da realidade sociocultural, mas também das peculiaridades da norma linguística dos habitantes dessa região. Partindo desse princípio, este trabalho discute vestígios de ruralidade no léxico dos habitantes da região Centro-Oeste com base em dados geolinguísticos, buscando por meio da análise de designações atribuídas por habitantes dos três Estados da região para um referente ligado ao universo rural, identificar em que proporção aspectos extralinguísticos interferem nas formas de nomeação de um mesmo elemento da realidade. Para tanto, foram analisadas 19 unidades lexicais, dentre elas, 07 obtiveram maior índice de produtividade (bruaca>buraca, bolsa, baú, capanga, alforje, surrão e mala) e 12 registraram apenas uma ocorrência (cofo, baú de couro, caixa/caixote de couro, balaio, boroca, fuso, caçuá, bornal, cangalha, silhão e sapicuá). Esses itens lexicais foram fornecidos como respostas para a pergunta 058 do Questionário Semântico-Lexical do Projeto Atlas Linguístico do Brasil (Projeto ALiB), vinculada à área semântica das atividades agropastoris que busca designações para a “objeto de couro, com tampa, para levar farinha, no lombo do cavalo ou do burro”. As respostas analisadas foram fornecidas por 108 habitantes com idade entre 18 a 30 anos e de 50 a 65 anos, sexos masculino e feminino, com Ensino Fundamental (capitais/interior) e Curso Superior (capitais), nascidos e criados na localidade pesquisada; habitantes das 24 localidades da região Centro-Oeste que integram a rede de pontos do Projeto ALiB. Realizado o levantamento dessas unidades lexicais, foi efetuada a tabulação das informações e a respectiva organização dos dados em forma de quadros e de gráficos, focalizando as dimensões: diatópica, diastrática, diageracional e diassexual. Para fins de análise, as unidades lexicais foram distribuídas em campos semânticos: (i) as que nomeiam o referente em causa, sendo subdivididas entre os itens lexicais específicos (bruaca e buraca) e unidades léxicas genéricas (bolsa, mala, caixa de couro, baú e baú de couro); (ii) itens lexicais que nomeiam outros referentes utilizados por pescadores (cofo), por garimpeiros (capanga e boroca), por boiadeiros (cangalha, sapicuá e silhão) e por camponeses (surrão, alforje, balaio, caçuá e bornal) e (iii) os neologismos semânticos (fuso). Os princípios teórico-metodológicos adotados para este estudo foram buscados na Lexicologia, na Dialetologia e na Geolinguística, áreas de Linguística que fornecem subsídios para a análise dos dados na perspectiva adotada para este trabalho.