logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Violência em (dis)curso: a homofobia em blogs gays
Autor(es): Gustavo Grandini Bastos. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave Homofobia,Gay,Rede Eletrnica
Resumo Tomando como referencial analítico, metodológico e teórico a Análise do Discurso de filiação francesa (doravante AD) (ORLANDI, 2007; PÊCHEUX, 1997), proponho discutir nesse trabalho a questão dos dizeres de homofobia em blogs gays – do tipo diário eletrônico – nos quais temos a inscrição de sentidos de/sobre a homofobia, entendida como a violência praticada contra os homossexuais, por tanto, foi necessário mobilizar autores que discutam conceitos essenciais, tais como, blog, homofobia e rede eletrônica (BORRILLO, 2010; LÉVY, 2004; ORIHUELA, 2006). Com o advento da internet e da rede eletrônica surgem novas possibilidades dos sujeitos inscreverem seus dizeres, inclusive, os que abordam a homossexualidade. O corpus do trabalho é composto por recortes provenientes de dois blogs gays do tipo diário – tipologia na qual o blogger compartilha seus desejos, interesses e opiniões sobre assuntos variados e no qual é possível que outros sujeitos-navegadores também inscrevam seus dizeres – nesse espaço discursivo inúmeras veredas poderiam ser exploradas, tais como a maneira que o gay inscreve dizeres sobre suas aventuras amorosas, seus filmes favoritos, a relação com a família, etc., entre tantas possibilidades de observação, optei por analisar as marcas de violência inscritas pelos gays. No trabalho com o corpus, dois conceitos da AD foram mobilizados, no caso, ideologia e sujeito, sendo que a primeira noção aborda a sensação de evidência que afeta o sujeito no processo de enunciação, parecendo evidente dizer de determinada forma e não de outras tantas possíveis, enquanto o segundo conceito é compreendido como posição no discurso (ORLANDI, 2007). Essas duas noções foram importantes durante a análise do corpus, no qual três pontos chamaram a atenção: i) a homofobia como prática recorrente nas narrativas dos sujeitos (bloggers e navegadores) colocando em jogo a naturalização dos gestos de violência contra os gays no cotidiano brasileiro; ii) o sujeito ocupando outras posições nos espaços discursivos da rede eletrônica, inscrevendo dizeres que não crê poder enunciar em outros lugares; iii) identificação da naturalização da noção de liberdade interpelando os sujeitos em seu processo de inscrição na rede eletrônica, expondo a ideia de que ali é possível dizer tudo, sem receio de regras ou punições de qualquer ordem. Concluo, destacando que na rede eletrônica o sujeito, interpelado pela ideologia, sente-se a vontade para inscrever dizeres variados, inclusive sobre sua sexualidade e as formas de violência que enfrenta no cotidiano, marcas, que muitas vezes, não podem ser inscritas em outros espaços por esses sujeitos.