logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Uma análise discursiva da designação ‘fake’ e de suas formas de variação em blogs de moda da atualidade
Autor(es): Leonardo Perez, Luzmara Curcino Ferreira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave Discurso,Designao,Moda
Resumo Em nossa pesquisa de mestrado analisamos discursos pró e contra a produção e consumo de produtos fakes, e apoiados teoricamente na Análise de discurso de linha francesa, valendo-nos mais detidamente do conceito de formação discursiva, empreendemos nossa análise de um conjunto de enunciados oriundos de blogs (de profissionais ou de leigos) e de reportagens que trataram de moda, de maneira a descrever seu funcionamento discursivo e a interpretar seus efeitos de sentido. Com base nos resultados obtidos nesta pesquisa, nos propomos, neste trabalho, a analisar as diferentes formas de designação desses produtos fakes manifestas em blogs e reportagens sobre o tema, e a compreender as razões de sua variação e uso. O produto falsificado é designado, entre outros, por fake, falso, pirata, cópia, réplica, inspired, genérico etc. Segundo a perspectiva discursiva, a variação nas formas linguísticas de designação e de adjetivação é um indício importante a partir do qual é possível compreender os processos simbólicos (históricos e culturais) de significação que são manifestos pela língua. Não apenas a variação, mas também a frequência com que certas designações são empregadas também foi considerada em nossa análise. A palavra em inglês fake (falso), por exemplo, apresenta uma maior recorrência em blogs de moda, oficiais ou não, sendo paradoxalmente empregada tanto em blogs pró quanto em blogs contra o consumo de produtos falsificados, por se adequar aos princípios da globalização, do glamour, do que é jovem, chique, inovador e internacional com os quais se caracteriza esse universo da moda. Já o termo ‘pirata’ é mais empregado para a definição de produtos eletrônicos ou então para a definição de produtos de moda falsificados, emergindo em textos (entrevistas e reportagens) que se referem a essa prática de produção e de consumo de produto falsificado como um ato ilícito e disforicamente avaliado. Assim, para analisarmos os efeitos de sentido produzidos por essa variação nas formas de designação dos produtos de moda conhecidos pro fakes, empreendemos uma análise das condições de emergência desses enunciados, levantando as coerções (históricas, culturais e de outras ordens) que atuam sobre todo e qualquer dizer e limitam sua significação.