logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Autoria na produção da aula de Língua Portuguesa
Autor(es): Thomas Massao Fairchild. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Lngua Portuguesa,Formao de Professores,Autoria
Resumo Neste trabalho, discuto algumas possibilidades de o professor assumir uma posição de autoria em relação a sua própria aula, seja ao assumir-se como elaborador do material que utiliza em seu ensino, seja ao ministrar aulas com base nesses materiais. Faço um contraponto, portanto, ao entendimento de que ao professor não cabe elaborar as aulas que ministra, ou que ao elaborá-las estaria apenas operacionalizando uma proposta teórico-metodológica já existente. Os objetivos deste trabalho são: a) estabelecer diretrizes para a análise de traços de autoria em atividades de ensino de língua e em registros de prática de ensino baseada nessas atividades; e b) delinear o que se pode considerar como “autoral” no contexto da produção desse tipo de discurso. Desenvolvo a noção de autoria com base na noção de heterogeneidade constitutiva de Authier-Révuz (1990, 2004), e nas considerações sobre autoria e função-autor de Foucault (1969, 2004) e Possenti (1984, 2002). De forma mais específica, compartilho a posição de Possenti (2002), segundo o qual a autoria pode manifestar-se em um texto por meio dos atos de “dar voz a outros discursos” e de “manter distância do próprio texto”. Com base nisso, defendo que a produção de uma aula de Língua Portuguesa demanda do professor tomadas de posição em relação a pelo menos quatro “feixes de vozes” que constituem a heterogeneidade de seu discurso: a) as que representam o(s) lugar(es) teórico(s) desde onde se elabora uma aula; b) as que representam a própria língua tomada como objeto, em diferentes recortes possíveis; c) as que representam o trabalho linguístico pressuposto ao aluno; e d) as que representam o projeto formativo dentro do qual o professor insere uma determinada aula. Com base nessas categorias, analiso materiais didáticos produzidos por alunos de Licenciatura em Letras. Demonstro que problemas presentes nesses materiais podem ser descritos como resultado da ausência de uma tomada de posição em relação a um desses quatro “feixes de vozes”, ou da dificuldade de gerenciá-los simultaneamente. Por fim, levanto algumas possibilidades de trabalho com alunos de Letras por meio das quais vimos introduzindo a produção da própria aula como um elemento constitutivo da formação inicial de professores de língua.