logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: (Auto)constituição ética do sujeito e negociação de identidades nas redes sociais
Autor(es): Carlos Renato Lopes. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave redes sociais,constituio do sujeito,Michel Foucault
Resumo Vem se afirmando na contemporaneidade uma visão de subjetividade pela qual o modo como nos vemos e nos concebemos como sujeitos é forjado em práticas sociais situadas, as quais frequentemente se materializam no nível do discurso, mas que igualmente implicam relações de poder. Tais práticas circunscrevem um espaço experiencial dentro do qual nos tornamos “acessíveis” a nós mesmos e aos outros como sujeitos e como objetos de ação, de conhecimento e de controle. No entanto, longe de ser um espaço neutro e estático, o qual habitamos e observamos por meio de lentes objetivas, trata-se antes de um espaço dinâmico, que toma forma nos processos, atividades e relacionamentos que se desenrolam nele ou por ele. Num movimento de mão dupla, os sujeitos constituem esse espaço ao mesmo tempo que são constituídos como sujeitos por meio das práticas. Partindo desses pressupostos, a apresentação tem por objetivo discutir resultados parciais de uma investigação sobre a (auto)constituição do sujeito em tempos em que as práticas identitárias passam, de forma cada vez mais acentuada, pelo cultivo de perfis em redes sociais. Interessa-nos refletir sobre o modo como a “ética da existência”, tal como delineou Foucault em seus últimos trabalhos, encontra um possível espaço de atuação em tais redes. Em especial, interessa-nos investigar como a prática regular de frequentar e alimentar perfis em redes sociais constituiria uma forma de crítica/problematização de poderes, códigos e regulamentos previamente estabelecidos, e de que modo isso se constituiria como um trabalho de natureza ética. Em particular, propomos pensar como tais práticas se materializam por meio do discurso, na forma de um deslocamento na rede de enunciados que determinam o que pode/deve ser dito sobre o que quer que esteja sendo dito em um determinado meio e contexto. Para tal análise, utilizamos o pensamento foucaultiano sobre ética e subjetividade como referencial teórico. Ainda pouco estudado em suas relações com a Análise do Discurso – tanto a que leva em conta as contribuições foucaultianas mais diretas ao arcabouço teórico, quanto a que se assenta prioritariamente sobre Michel Pêcheux – o período conhecido como o “último Foucault” aponta para um campo vasto de investigações. Dessa forma, propomos inicialmente um breve esboço das principais questões tratadas pelo filósofo francês no referido período, para em seguida procedermos a uma discussão preliminar de um corpus composto por posts e comentários publicados na página pessoal de um conhecido intelectual brasileiro no Facebook em meados de 2012.