logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: O onset complexo no desvio fonológico: aquisição top-down ou botton-up?
Autor(es): Roberta Freitas Dias. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 23/10/2019
Palavra-chave Aquisio fonolgica,Desvio fonolgico,Fala
Resumo A aquisição do sistema fonológico do Português Brasileiro (PB) é caracterizada pela presença de segmentos adquiridos em idades diferentes para posições silábicas distintas. Este tipo de percurso tem motivado a discussão sobre o direcionamento da aquisição fonológica, top-down ou botton-up. No que concerne a este fato, credita-se que aquisição dos sons do PB seja guiada pela sílaba como, por exemplo, no caso do template CCV. Essa estrutura silábica deve estar disponível na subjacência para que haja o preenchimento segmental adequado, independente do tipo de obstruinte ou de líquida que a constitui. O objetivo deste estudo foi investigar o tipo de aquisição do onset complexo (OC), top-down ou bottom-up, através de variáveis linguísticas que influenciam na produção deste template. Foram analisados dados de fala de 44 crianças com diagnóstico de desvio fonológico. O corpus de palavras analisadas ficou composto de 1310 itens lexicais formados por OC. As variantes da variável dependente investigadas foram: produção correta do OC versus produção incorreta (simplificação para C1V; simplificação para C2V; simplificação de C1V com mudança de obstruinte; mudança de obstruinte; substituição da líquida do encontro; epêntese; metátese e outras, como alongamento compensatório). Analisaram-se as variáveis linguísticas referentes à qualidade segmental do OC: classe da obstruinte, ponto da obstruinte, sonoridade da obstruinte e tipo de líquida do OC. Utilizou-se o pacote computacional VARBRUL (significância de 5%). Apenas a variável sonoridade da obstruinte foi selecionada como estatisticamente significante para a produção correta do OC. Essa variável também foi selecionada para diferentes tipos de estratégias de reparo empregadas na produção do OC, como simplificação para C1V, simplificação para C1V com mudança de obstruinte, mudança de obstruinte, substituição da líquida do encontro e outras estratégias. As variáveis classe da obstruinte, ponto da obstruinte e tipo de líquida do OC foram selecionadas para estas mesmas estratégias de forma distinta. As estratégias de reparo envolvendo a estrutura silábica – simplificação para C1V seguido da simplificação para C1V com mudança de obstruinte – foram as que mais ocorreram no corpus analisado. A aquisição do OC parece realmente ser guiada pela sílaba (top-down), sobretudo pelo fato de a produção correta deste template ter sido influenciada por apenas uma das quatro variáveis referentes às características segmentais do OC. Além disso, as estratégias de reparo que mais ocorreram foram aquelas envolvendo a estrutura silábica, como a simplificação para C1V, o que demonstra que a aquisição do OC depende da estabilidade desta estrutura silábica.