logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Discurso e Internet: o Google e a personalização de conteúdos
Autor(es): Daiana de Oliveira Faria. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Discurso,Google,Personalizao
Resumo Partimos da premissa de haver algum deslocamento na dinâmica da Internet, que antes se apresentava com a pretensa ilusão do tudo para todos (FARIA; ROMÃO, 2012) e agora parece centrar-se no eu, a fim de impor-lhe um recorte do todo. Recorte esse possibilitado pelos recursos de personalização de conteúdo que filtram as informações e mostram para o usuário apenas o que tais recursos analisaram como de interesse para esse usuário, ou seja, não é o usuário que escolhe o que lhe interessa, mas a tecnologia (PARISER, 2012). Diante disso, objetivamos observar se e como tais condições de produção, anotando que essas compreendem os sujeitos e a situação no seio da história (ORLANDI, 2006, p. 15), têm o potencial de determinar a captura do sujeito e impor sua inscrição em redes parafrásticas de sentidos (ORLANDI, 1998). Inferimos que, com tal implicação no funcionamento da linguagem, os recursos de personalização são capazes de propor formas de nomeação ao sujeito, que é inscrito pela máquina desde o momento em que ela lhe atribui um número (endereço IP) até o momento em que os conteúdos direcionados lhes aparecem na tela. Com isso, embasando-nos no quadro teórico-metodológico da Análise do Discurso de matriz francesa, sobretudo a partir dos trabalhos de Michel Pêcheux, propomos observar como, pelo processo de interpelação ideológica, a Internet determina inscrições do sujeito através dos recursos de personalização cada vez mais usados nesse espaço. Segundo PARISER (2012), ao retomar as palavras de Sheryl Sandberg, “nos próximos três a cinco anos, disse Sheryl Sandberg, diretora-executiva de operações do Facebook, a ideia de um site que não seja adaptado a cada usuário vai parecer estranha (PARISER, 2012, p. 13)”. Para fundamentar esta proposta, ressaltando que ela se encontra em fase inicial, pretendemos fomentar uma discussão teórica em torno da memória discursiva e sua relação com a memória metálica. Nesta proposta, o processo de inscrição do sujeito é crucial. Acerca disso, propomos observar o processo de interpelação ideológica e, em que medida, os recursos de personalização funcionam discursivamente como formas de nomeação e inscrição do sujeito da/na/à internet. Contudo, pretendemos traçar uma fundamentação teórica em torno do discurso perpassado pela tecnologia.