logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: O MITO DO “VANDALISMO” GRAMATICAL E AS DIFERENTES CATEGORIAS DE PRODUÇÃO DAS FORMAS DE ESCRITA NAS SALAS DE BATE-PAPO.
Autor(es): Agenor Almeida Filho. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Linguagem,Escrita,Internets
Resumo A escola, enquanto instituição social que visa desenvolver habilidades e capacidades no aluno durante o processo de ensino-aprendizagem, tem como principais objetivos saber o que se deve ensinar e como ensinar. A primeira questão detém-se no âmbito dos conteúdos, enquanto que a segunda, no âmbito da metodologia.Os conteúdos devem ser ensinados numa perspectiva contextualizada e significativa, isto é, devem ser selecionados de forma que não fiquem isolados da realidade do aluno, devem ter relevância e poder contribuir para desenvolver as capacidades especificadas. Neste sentido, devem-se evitar os reducionismos, o que significa dizer que os conteúdos devem ser ensinados, mas não devem ser o foco do processo de ensino-aprendizagem.A metodologia consiste na forma como devem ser transmitidos os conteúdos de modo a serem assimilados ou construídos com eficácia. Método é o caminho para se chegar a um fim determinado, portanto, o método pode ser múltiplo, desde que alcance o seu objetivo. Neste contexto institucional escolar, em que se faz necessário pensar o ensino da língua materna, levando em consideração conteúdos e metodologia, é necessário que se pergunte: qual deve ser o objetivo do ensino da língua? Conteúdos e metodologias devem estar subordinados ao objetivo definido para se atingir quando se ensina uma língua ao aluno. Ao pensar nestes objetivos, o professor tem que estar ciente das novas modalidades e formas de relação do aluno com a linguagem, isto é, deve-se pensar também na linguagem virtual, no ciberespaço, no internetês. Neste contexto, as práticas de letramentos devem permear todo o processo de desenvolvimento da capacidade de uso da leitura e escrita que envolve os domínios tradicionais da língua e os novos domínios derivados do advento da informática. Necessário se faz, convenhamos, uma discussão acerca dos fenômenos da escrita, vinculados à oralidade e mediados pela tecnologia computacional. O objeto de análise são as formas escritas encontradas nos textos oriundos das salas de bate-papo, considerando-se a grafia e sentido dos termos e expressões utilizados. No que concerne ao quadro teórico-metodológico, um primeiro passo compreende o levantamento das diferentes categorias de produção das formas de escrita nas salas de bate-papo. Tais características são determinantes no estabelecimento da análise das categorias em confronto com as formas cultas da língua.