logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: O discurso sobre a escrita na mídia: diálogos entre a esfera artística e a esfera pedagógica.
Autor(es): MARINA CLIA MENDONA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave estudos bakhtinianos do discurso,gneros do discurso,esfera de atividade
Resumo Esta pesquisa insere-se nos estudos bakhtinianos do discurso e, desta base teórico-metodológica, destacam-se os conceitos gênero do discurso e esfera de atividade para refletir acerca do discurso sobre a prática de escrita na Revista Língua Portuguesa (editora Segmento, São Paulo). Bakhtin propõe que se considere a dialogicidade como a característica fundamental do enunciado e dos gêneros do discurso: no enunciado, encontram-se ecos de outros, encontra-se um sujeito em atividade responsiva, respondendo aos discursos que o constituem na história. Essas marcas da alteridade nos enunciados são espaços de movimento do sentido e dos gêneros do discurso: eles se hibridizam, se mesclam e se modificam no diálogo, na grande e pequena temporalidade. Se as esferas de atividade da sociedade, em que se produzem os gêneros do discurso, definem relativamente modos de dizer e fazer com a linguagem, o diálogo entre as esferas desestabiliza o discurso. É esse movimento que esta pesquisa tem por objetivo perceber. O interesse é refletir sobre as relações entre o pedagógico e o artístico no discurso sobre as práticas de escrita na Revista Língua Portuguesa. O diálogo que o periódico empreende com o já-dito ressignifica vozes provenientes de esferas de atividade diferentes, entre elas o discurso pedagógico sobre a escrita e o discurso artístico da criação literária. Resultados anteriores de análise de enunciados da revista, realizados por esta pesquisadora, mostraram a presença neles do discurso normativo/prescritivo da tradição gramatical e do descritivo/explicativo das ciências da linguagem. Esse diálogo, presente em diferentes gêneros do discurso materializados na revista (capa, sumário, carta ao leitor, reportagem, entrevista, crônica, artigo), mobiliza memórias discursivas em conflito. A análise feita anteriormente desvela que os limites entre as diferentes esferas (pedagógica e científica, neste caso) são esgarçados, produzindo efeitos de sentido não desprezíveis para uma política conservadora de uso da língua. Além da relação entre essas esferas, encontramos, especialmente em uma coluna assinada desse periódico, o entrelaçamento entre o discurso pedagógico sobre a produção textual e o discurso artístico. É essa coluna, intitulada “Técnica” ou “Técnica criativa”, que é analisada neste trabalho. Selecionamos para análise 12 textos assinados por Geraldo Galvão Ferraz, veiculados na revista entre 2006 e 2008. O interesse é discutir como se representa o fazer literário nesses textos, como se produz uma imagem do autor de literatura e do autor de textos escolares, e, finalmente, como se produz uma imagem dos gêneros literários nesse espaço de “didatização” da produção textual.