logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Por um diálogo entre a sociolinguística e os estudos do discurso
Autor(es): Cristine Gorski Severo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave sociolingustica,discurso,interface
Resumo Pretende-se apresentar e discutir possibilidades teórico-metodológicas de interface entre as abordagens sociolinguística e discursiva. Mais especificamente, centra-se a atenção nos trabalhos de William Labov e Mikhail Bakhtin e seu Círculo. Embora estes estudiosos compartilhem interesses e contextos diferentes de produção de suas teorias, e embora se trate de concepções epistemológicas diferentes – empírica e filosófica –, acredita-se que um diálogo entre ambos seja possível, isso porque tanto Labov como Bakhtin buscaram entender a relação dinâmica entre diversidade linguística, sociedade e sujeitos, cada qual da sua maneira. Para ilustrar a possibilidade de diálogo, serão apresentadas e aproximadas as concepções bakhtinianas e labovianas de língua e mudança linguística. Desdobrando-se tais concepções, serão discutidas as noções de estilo e de avaliação. Na perspectiva da sociolinguística quantitativa, trata-se de considerar o problema da avaliação e a variação estilística; na perspectiva bakhtiniana, leva-se em conta a noção de gênero discursivo, de estilo e a dimensão avaliativa e valorativa presente na língua-enunciado. As discussões e aproximações feitas oscilarão entre dois níveis analíticos: um macro, fortemente presente nos estudos quantitativos de perspectiva laboviana e voltado para o diagnóstico da realidade sociolinguística de uma comunidade de fala a partir da consideração de categorias sociais centradas, tradicionalmente, em classe social, gênero, escolaridade e idade; outro micro, também presente nos trabalhos labovianos, focado na compreensão das forças motivadoras e de propagação dos processos de variação linguística a partir da dinâmica de redes sociais e comunidades de prática. Acredita-se que a perspectiva bakhtiniana integrada aos estudos sociolinguísticos possibilitará uma expansão da compreensão das forças sociais, ideológicas, políticas e culturais atuantes sobre a variação e a mudança das línguas, especialmente a partir das noções de gêneros discursivos e esferas sócio-ideológicas, estilo e valoração social. Com isso, será proposta uma abordagem discursiva para se compreender processos de variação e mudança das línguas, desde aspectos motivadores desses processos, até possibilidades interpretativas para a dinâmica da variação e a efetivação de mudanças linguísticas. Este trabalho, por fim, pretende contribuir para o movimento recente da sociolinguística brasileira de construção de interfaces da área com outras disciplinas, alargando as possibilidades explicativas dos fenômenos linguísticos de variação e mudança.