logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: ESCRITA ACADÊMICA: O PESQUISADOR E SUA RELAÇÃO COM A TEORIA.
Autor(es): MARIA APARECIDA DA SILVA MIRANDA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave escrita acadmica,no-coincidncias do dizer,apropriao de conceitos de rea
Resumo Esta pesquisa é fruto de estudos e reflexões desenvolvidos no interior do Grupo de Pesquisa em Estudos do Texto e do Discurso – GETED - Departamento de Letras da UFRN. Tem como objetivo analisar indícios de como o pesquisador ao utiliza formas linguísticas para escrever o seu texto lida com os autores, com o propósito de responder a seguinte pergunta de pesquisa: Como um pesquisador em formação se relaciona com a teoria ao mobilizar um conceito de área e colocá-lo em funcionamento na análise dos dados? Parto do conceito de singularidade proposto por (AUTHIER-REVUZ, 1998; 2004; 2011) ao expor que na geografia do texto acadêmico as “paradas-sobre-palavras” aparecem como marcas sensíveis de uma paisagem reveladora do modo singular de o sujeito se colocar na progressão desse dizer, e que, as não-coincidências dizem coisas essenciais da relação do pesquisador na interação com o outro que testemunha um discurso particular e próprio. Para tanto, tomo como objeto de estudos expressões linguísticas que remetem aos laços opacificantes como insucessos ou como ajustamentos que afloram no avanço desse dizer, denominado por Authier-Revuz (2011) como as não-coincidências do dizer, podendo evidenciar ou não o tipo de envolvimento do pesquisador com a bibliografia lida ao escrever a pesquisa. Constitui o corpus, duas dissertações de mestrado da área de linguística que tratam de conceitos bakhtinianos, e, que buscam analisar propostas de escrita como dados empíricos, defendidas na década de 2000, disponíveis no Portal de Domínio Público-CAPES. Os objetivos serão: a) verificar se o modo como o pesquisador interpreta um conceito se diferencia do autor do texto fonte evidenciando um modo singular de escrever do sujeito; b) analisar o tipo de expressões linguísticas de não-coincidências do dizer mais comum na escrita acadêmica. A hipótese é a de que as marcas linguísticas presentes na tessitura do texto acadêmico pode determina o posicionamento enunciativo da elação do sujeito com a teoria mobilizada em seu trabalho de pesquisa.