logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Tessituras iniciais sobre sujeito e corpo na rede eletrônica
Autor(es): Daniela Giorgenon. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave sujeito,corpo,rede eletrnica
Resumo Em “Mal estar na civilização” (1930 [1929]), Freud fala sobre a apropriação da natureza pelo homem resultando no controle sobre o espaço e o tempo com os avanços tecnológicos daí advindos. Nesse texto, Freud faz uma retrospectiva sobre a emergência da civilização e a localiza como fruto do domínio de instrumentos e do fogo pelo homem; e pontua que, por meio de cada instrumento, o homem supõe se recria, recria seus próprios órgãos, sensoriais ou motores, fazendo-os extensão e aprimoramento de si, indo além dos limites de seu funcionamento corpóreo. Partindo da perspectiva freudiana, em pesquisa de doutorado orientada pela Profª Drª Lucília Maria Sousa Romão, temos procurado avançar estudos sobre os conceitos de sujeito e corpo, na contemporaneidade, e sua relação com tecnologias. Para tanto, temos nos debruçado em estudos de formações discursivas que materializam chamamentos/endereçamentos ao/do sujeito e corpo à conexão à rede eletrônica e que lhe ofertam um lugar discursivo de peça dessa rede (ao avesso da tecnologia sendo tomada como peça, como prótese do humano, dita por Freud em “Mal estar”). Tomando o significante como norteador dessa pesquisa, apontamos a polissemia de “peça” e levantamos algumas questões para articularmos a alteridade imbricada entre sujeito, corpo e rede eletrônica (tecnologia): O que esse corpo, esse sujeito navegador é impelido a pedir/demandar à rede (eletrônica)? O que é pedido/demandado a esse sujeito-corpo a partir da rede (eletrônica)? Para articularmos estas questões nos pautamos no conceito de sujeito elaborado por Michel Pêcheux a partir de sua articulação com a psicanálise freudiana-lacaniana e com o materialismo histórico, em contribuições da psicanálise sobre o conceito de sujeito e corpo e recentes contribuições de Eni Orlandi, Cristiane Dias e Lucília Romão no campo da Análise de Discurso pecheuxtiana englobando sujeito, corpo e rede eletrônica. Com base nestes aportes teóricos, leremos formações imaginárias sobre a rede eletrônica, a conexão de sujeitos e seus corpos a ela, e que perpassam o estar online o tempo todo, o tudo poder encontrar. Sentidos que obturam o significante “rede” que dá forma de furo, de fios e de nós ao discurso, como aponta Leandro-Ferreira, e acrescentamos, também ao sujeito, ao corpo e ao eletrônico e que faz real a incompletude (também) no jogo de complementariedade com a rede eletrônica. Para estas tessituras iniciais, também articularemos as contribuições de teóricos da cibercultura.