logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Considerações sobre os numerais classificadores na variação do japonês da Comunidade Yuba
Autor(es): RIKA YURIE FUJIWARA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Classificadores Lingusticos,Lngua Japonesa,Variao Lingustica
Resumo No âmbito da tipologia funcional, como apresentado nos trabalhos de Allan (1977), Aikhenvald (2000), dentre outros, os classificadores são definidos como marcadores que permitem uma compreensão parcial de como as pessoas categorizam o mundo por meio de sua língua. Segundo Aikhenvald (2000), quase todas as línguas utilizam algum meio gramatical para categorizar substantivos e nominais. Nesta esfera, os numerais classificadores, objeto desta pesquisa, são, basicamente, morfemas especiais que aparecem próximos a um numeral ou quantificador. Eles podem categorizar um substantivo do ponto de vista de sua animacidade, forma, tamanho, estrutura e/ou outras propriedades inerentes. O projeto de pesquisa a ser realizado tem por objetivo a realização de uma análise comparativa entre os numerais classificadores da língua japonesa standard e os numerais classificadores utilizados pelos falantes de japonês da comunidade linguística Fazenda Yuba, localizada no município de Mirandópolis, estado de São Paulo, mais especificamente na Colônia Aliança (composta por três núcleos: Primeira Aliança (onde se encontra a Fazenda Yuba), Segunda Aliança, e Terceira Aliança. Além disso, por meio da pesquisa in locus, objetiva verificar as possíveis variações que estão ocorrendo nesta variação do japonês, ou seja, na koronia-go da comunidade Yuba. De acordo com Ota (2009), a koronia-go é a língua dos imigrantes japoneses e seus descendentes, a qual surgiu por meio do contato entre as línguas portuguesa e japonesa. Koronia-go significa “língua da colônia”, mas também pode ser chamada de nissei-go, “língua dos nisseis”. A comunidade foi escolhida como alvo de pesquisa, por apresentar características linguísticas ímpares no panorama geral da situação linguística no Brasil. Além da Fazenda Yuba, há apenas outra comunidade linguística em situação semelhante no país segundo Ota (2009), a Vila Ipelândia, localizada no município de Suzano, a 34 km da capital. Contudo, apesar de semelhantes no que se refere à origem, época de criação (antes da Segunda Guerra Mundial), língua e cultura, as comunidades certamente apresentam inúmeras diferenças. (Apoio: CAPES/REUNI – Processo: 117.5231)