logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: AS DESIGNAÇÕES DE ACIDENTES GEOGRÁFICOS E ELEMENTOS HÍDRICOS NO ATLAS LINGUÍSTICO DE CORUMBÁ E LADÁRIO – MS: REFLEXÕES ACERCA DAS UNIDADES LEXICAIS COLETADAS
Autor(es): Beatriz Aparecida Alencar. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Atlas Lingustico,Lxico,Corumb e Ladrio
Resumo O léxico configura-se como o nível da língua que melhor evidencia peculiaridades de um dado espaço geográfico: diferentes momentos históricos, processo de colonização, contatos interétnicos, além das características ambientais e a forma como o homem nomeia os elementos da realidade que o cerca. Uma das formas de registro da norma lexical de uma região são os atlas linguísticos, cuja elaboração é orientada pelos parâmetros da Dialetologia e da Geolinguística contemporâneas. O Atlas Linguístico de Corumbá e Ladário (ALENCAR, 2013), desenvolvido como dissertação de Mestrado, insere-se nesse contexto à medida que teve como objetivo mais amplo documentar e descrever a fala dos habitantes dos municípios de Corumbá e de Ladário, cidades localizadas no Extremo Oeste do Mato Grosso do Sul. O início da colonização dessa região data de 1778 e a formação étnica da população é fortemente marcada pela miscigenação cultural e linguística, fruto do contato entre os povos indígenas do Pantanal e o homem branco, que teve início em 1524 quando o primeiro português transitou pela região e, posteriormente, pelo convívio com países platinos via rio Paraguai. Dadas essas características, a língua falada no município de Corumbá que já foi objeto de investigação, dentre outros, de dois projetos dialetológicos: o Projeto ALiB (Atlas Linguístico do Brasil) e o ALMS (Atlas Linguístico do Mato Grosso do Sul). O Atlas Linguístico de Corumbá e Ladário conta com uma rede de pontos composta por cinco localidades que foram selecionadas com base nos critérios antiguidade e localização entre o rio Paraguai e as linhas do trem da Ferrovia Noroeste, que propiciaram a chegada dos colonizadores na região em diferentes épocas do processo de povoamento. No total, o atlas conta com 20 informantes, sendo 4 por localidade, divididos por gêneros e distribuídos em duas faixas etárias (I: 18-30 anos; I: 50-65 anos). Neste trabalho analisamos as unidades lexicais fornecidas pelos informantes do ALiCoLa como respostas para as 12 perguntas relacionadas à área semântica Acidentes Geográficos e Elementos Hidrográficos que resultaram em 137 ocorrências, buscando verificar a questão da relação entre o nome e o referente nomeado. Os dados são discutidos em termos diatópico e léxico-semântico. Busca-se também observar a realização dessas unidades lexicais em outros trabalhos dialetológicos que possuam pontos de inquérito comum (ALMS, 2007; ALiB). Os dados analisados apontam para uma diversidade lexical na designação dos conceitos contemplados pelas perguntas selecionadas e dão mostras da interação entre o homem e o meio ambiente.