logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Encruzilhadas linguísticas: produção e circulação de imagens da língua
Autor(es): Rafael Barreto do Prado. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave Produo do Conhecimento,Anlise do Discurso,Lngua Portuguesa
Resumo Pretendemos com esta comunicação, apresentar nossa proposta de pesquisa já em andamento e as primeiras considerações quanto à hipótese inicial. Na referida pesquisa estamos investigando textos produzidos em quatro espaços linguísticos; quais sejam: i - Cotidiano; ii – Produção Acadêmica; iii – Ensino de Língua e iv – Literatura. Analisaremos a imagem de língua depreendida desses textos, tendo em vista as particularidades de cada espaço e, posteriormente, fazendo um cruzamento. Parte de tal procedimento se dará verificando existência de mecanismos compartilhados ou peculiares para a sustentação da imagem, tanto em âmbito linguístico como extra-linguístico. Entendemos que agrupar tais espaços se faz necessário dada a implicação mútua e de via múltipla entre eles. A síntese das relações é infindável. Uma produção advém da outra e advai para a seguinte, ou inversamente advém da seguinte e advai para a outra, sem um marco inicial (ponto zero). Tomaremos como primeira linha a percorrer, a teoria do autor italiano Rossi-Landi (1985), que desenvolve em sua obra uma aproximação entre o trabalho linguístico e o trabalho não-linguístico, cujo desenrolar, dadas as condições sociais, resulta na forma mercadoria. Intenta com isso, mostrar que a estrutura linguística não escapou à forma de organização predominante de nossa sociedade. Acrescentaremos à tal reflexão a contribuição da Análise do Discurso. O corpus será composto por textos publicados, no Brasil, na primeira década do século XXI (2001 – 2010), cuja temática aborde a língua. Nossa hipótese inicial é de que as relações descritas por Rossi-Landi podem ser ampliadas, revelando nuances quanto aos conceitos trabalhados, como por exemplo, o “valor-de-troca”. Entendemos que, para a produção e circulação de conhecimento, concorrem, além de aspectos técnicos, questões associadas às estruturas institucionais, aos aspectos culturais e à formação político-econômica de um país. Acreditamos ser, tal concorrência de forças das relações sociais, ou de polos (Barzotto, 2010), – Língua, Instituição, Cultura, Economia, Política –, profunda a ponto de fazer com que esses polos sejam mutuamente atravessados entre-si, sendo capazes de concentrar em um, aspectos dos demais. Ao cabo de nossa pesquisa, esperamos contribuir para a melhor compreensão do que se apresenta como língua e em quais discursos se referencia.