logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: A construção da significação como um fenômeno de variações reguladas: um olhar enunciativo para o processo de estabilização semântica do verbo cortar
Autor(es): SORAIA ASSIS GARCIA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Lingustica da Enunciao,Identidade e variao semnticas,Verbo Cortar
Resumo A proposta desta comunicação é apresentar resultados parciais da pesquisa que se propõe a investigar a construção da significação em enunciados envolvendo o verbo “cortar” no português do Brasil. Fundamentadas na Teoria das Operações Enunciativas, as análises que serão desenvolvidas partem de duas premissas: a materialidade semântica constitutiva à unidade linguística não é apreendida em termos de sentidos que lhe são inerentes; a estabilidade semântica da unidade a ser analisada é sempre provisória, e se desenha através das interações dialéticas entre esta mesma unidade e os contextos que ela evoca. O referencial teórico adotado prevê que a variabilidade subjacente à unidade possui também uma regularidade, e que os elementos do enunciado não apenas são convocados pelo verbo, mas o delimitam em seus modos de funcionamento, havendo uma mútua influência de comportamento entre os elementos que compõem os enunciados. Assim, os chamados valores verbais não pertencem isoladamente ao verbo, sendo estabilizados pelo jogo da atividade de linguagem. O trabalho tem como objetivos específicos levantar as possibilidades de variação semântica em enunciados com o verbo cortar, apresentar uma hipótese capaz de identificar essa unidade linguística independentemente da variedade de usos e fornecer uma primeira sistematização de seus modos de funcionamento enunciativo. O procedimento metodológico adotado é o da reformulação como fundamento para elaborações de glosa, por meio do qual sequências enunciativas são desconstruídas e reconstruídas a partir de uma observação minuciosa dos elementos linguísticos que as constituem. Esse procedimento permite evidenciar os traços que remetem aos esquemas de operação da ordem da linguagem sustentando os enunciados, numa busca pelo que é ou não generalizável no modo de funcionamento da unidade lexical em questão. Glosar as sequências é um caminho para a descrição da forma esquemática do verbo, conceito que se inscreve em um modelo de representação de identidade semântica que se afasta de uma definição em termos de um valor semântico primeiro ou de base, por conceber que ela é caracterizada por um modo peculiar de funcionamento, no qual a variação inerente às unidades é regida por princípios regulares. Por fim, procuraremos mostrar que as variações do verbo “cortar” não são quaisquer e que seus valores semânticos não são passíveis de aplicação a qualquer outra unidade da língua.