logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Construções copulares no português pernambucano dos séculos XVIII e XIX: um estudo diacrônico
Autor(es): Marcelo Amorim Sibaldo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 21/10/2019
Palavra-chave Cpula,Predicado,Sintaxe
Resumo Como é sabido, no português brasileiro (PB), apesar de alguns sintagmas serem predicados tanto do verbo “ser” quanto do verbo “estar” (como em “O João é/ está gordo”), alguns predicados podem somente ser combinados com o verbo ser ao passo que outros só podem ser combinados com estar, como podemos observar abaixo: (1) a. O Rafael está/ *é descalço. b. A Maria está/ *é grávida. (2) a. A Maria é/ *está fiel. b. O João é/ *está cozinheiro. Além disso, tomando como exemplo os sintagmas preposicionais (PP) predicados das orações copulares do PB, observamos que a seleção de cópula + PP pode culminar em papéis temáticos (ideias semânticas) distintos, a depender da semântica expressa no PP pós-cópula. É relevante salientar, ainda, que, a seleção das cópulas ser/ estar, nesses casos, é fixa, não podendo haver permuta dessas cópulas: (3) a. A Denise está / *é [PP na praia]. Locativo b. A Denilda está / *é [PP com os orientandos]. Companhia c. O Marcos está / *é [PP com dinheiro]. Posse (4) a. Essa chave é / *está [PP de ouro]. Matéria b. O dinheiro é / *está [PP pra o Manoel]. Beneficiário c. Este tapete é / *está [PP da China]. Origem Apesar de, como visto acima, a seleção da cópula neste fenômeno ser fixa no PB, sabemos que, no português arcaico, algumas ideias semânticas, como a de companhia, por exemplo, eram determinadas a partir da junção do PP à cópula seer, como pode ser visto no exemplo (5), retirado de Mattos e Silva (2006, p. 151): (5) ... e que en outro dia seeriam com ele. Dada a discussão acima, objetiva-se com este trabalho acompanhar o percurso dos verbos copulares do português brasileiro de Pernambuco. Mais especificamente, pretende-se analisar os contextos sintáticos em que os verbos ser e estar aparecem em cartas oficiais e particulares dos séculos XVIII e XIX, retirados do Projeto Para História do Português Brasileiro (PHPB) da equipe regional de Pernambuco, levando em consideração também as ideias semânticas estabelecidas a partir da junção da cópula com o sintagma predicado (sintagma nominal, preposicional, adjetival e adverbial), como nos exemplos acima. A ideia é investigar se haveria já naquela época as restrições de seleção que existe hoje no português brasileiro (doravante PB), levando em consideração o arcabouço teórico-metodológico da Teoria da Variação e Mudança Linguística (cf. WEINREICH, LABOV & HERZOG, 1968).